Saúde em alta com exercícios funcionais

Saúde em alta com exercícios funcionais

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Descoberto há mais de cinco décadas na Europa e nos Estados Unidos, o exercício funcional vem protagonizando o cenário fitness contemporâneo. Em um mundo que confere demasiado poder à tecnologia, a modalidade veio resgatar, de uma forma sistematizada, as funcionalidades naturais do corpo, como o ato de correr, de pular corda, de agachar, de empurrar e de subir em árvores. Além disso, o funcional surgiu para preencher a lacuna dos exercícios monótonos e repetitivos. O treinamento é indicado para pessoas sedentárias, para atletas de alto rendimento e até mesmo para populações segmentadas, como a terceira idade.

A ênfase ao capital humano, a promoção da qualidade de vida e o trabalho de prevenção a doenças são os atributos que efetivamente caracterizam os objetivos dessa modalidade. Para falar sobre a versatilidade do treinamento funcional, oferecido na academia e no clube da Associação dos Servidores do Tribunal de Contas da União, a ASTCU e o Sindilegis conversaram com o servidor e mestre em Educação Física, Pedro Paulo de Morais, do Serviço de Promoção de Saúde e Bem-Estar (SBE)/Dsaud – e com colaboradores da laboral do tribunal.

O que é o exercício funcional?

O treinamento funcional são exercícios naturais. Ou seja, realiza-se uma série baseada nas habilidades básicas: pular, saltar, correr. Tudo o que seria feito no dia a dia e que precisaria usar a força da musculatura, além da flexibilidade e do equilíbrio, é sistematizado em uma sequência de exercícios dentro de um treinamento. O funcional veio ao encontro daquelas demandas de pessoas que geralmente não gostam de praticar musculação e optam por um exercício mais natural.

Qual a diferença do funcional para a musculação?

Na musculação, o movimento é isolado. Exercitam-se os músculos na direção determinada pelo aparelho. No funcional, por sua vez, o corpo determina o eixo dos movimentos, que são executados de forma livre. Também no treinamento funcional, os músculos do core (grupo muscular que engloba quadril, pelve, lombar e região abdominal) são bastante requisitados. São eles os responsáveis por sustentar todo tipo de movimento, além de promoverem o equilíbrio corporal e de atuarem na prevenção de lesões quando bem trabalhados. Outra diferença fundamental é que, ao contrário da musculação, o funcional exercita toda a musculatura de forma global, o que abrange o equilíbrio, a coordenação motora, a flexibilidade, o ritmo e o sistema cardiovascular.

Quais são os principais benefícios do funcional?

O funcional assegura que o aluno trabalhe o corpo como um todo. Ele proporciona força, resistência cardiorrespiratória; tonifica e fortalece os músculos; e trabalha a coordenação motora. Além disso, não exige equipamentos. Aqui no Tribunal, por exemplo, os servidores ficam a maior parte do tempo sentados e em posição errada. Então, o Centro de Atividades Físicas da ASTCU é uma oportunidade para se exercitarem, fortalecendo a região do core. Isso traria inúmeros benefícios para eles. Se analisarmos o Brasil hoje, constataremos que ele caminha para um país de idosos, cujas mortes precedem uma queda, que é um problema de equilíbrio ocasionado por falta de músculos e de massa magra. E o funcional contribui de forma efetiva para fortalecer a musculatura, amenizando os efeitos do tempo.

Qual a frequência do treinamento?

Para os sedentários, eu oriento três vezes na semana, com treinos de 50 min a 1 hora. Não adianta um iniciante querer treinar todos os dias da semana, pois essa é uma meta muito difícil de ser mantida. É preciso respeitar os limites do corpo, pois o descanso também é treinamento. Começamos com estímulos baixos, o corpo se adapta; surgem novos estímulos e o corpo novamente se adapta. É uma progressão com resultados rápidos: a estimativa para o exercício funcional é que haja uma perda de até 800 calorias por treinamento. Se a pessoa for correr no mesmo período de tempo, haverá um gasto de apenas 700 calorias. O interessante do exercício é que ele leva à uma consciência corporal e, consequentemente, à necessidade de uma reeducação alimentar. E essas ações, aliadas, ocasionam o aumento da autoestima e da qualidade de vida. Por sua vez, para aqueles que almejam um ganho de força e uma resistência expressivos, eu sugiro um treino diferenciado para alcançar tais objetivos.

Considerando o perfil do servidor do TCU, como seria o treino ideal para ele?

O servidor do TCU é muito exigido, é cobrado por metas em seu ambiente de trabalho e geralmente não tem muito tempo disponível para praticar exercícios físicos. Mas tem a necessidade de incluí-los no seu dia a dia para aliviar o estresse e, sobretudo, para evitar problemas de saúde futuros. Então, ele tem de optar por atividades que demandem pouco tempo, que tragam resultados expressivos e que sejam de fácil acesso. E a academia nas dependências do TCU proporciona isso. Além disso, essa pausa para a malhação vai fazer com que os colegas de trabalho cumpram seus objetivos profissionais de maneira mais efetiva, sentindo-se mais dispostos e mais capazes de superar os desafios impostos pela vida, melhorando a convivência familiar.

Quais as orientações para os servidores que pretendem iniciar o treinamento funcional?

Primeiro, deve-se passar por uma avaliação médica e, posteriormente, por uma avaliação física. Aqui no Tribunal, por exemplo, trabalhamos com o Exame Periódico de Saúde (EPS). Por meio dele, verificam-se os indicadores de saúde dos servidores. De acordo com esse diagnóstico, há a especificação de alguns exercícios, mas sempre com o cuidado de respeitar os limites do corpo e os horários de trabalho disponíveis. Mediante testes, traçamos metas a serem alcançadas que, de modo geral, dizem respeito à perda de peso, ao aumento de massa muscular e ao tratamento de dores na cervical, na lombar e no joelho.

Saiba mais!

Quem demonstrar interesse em fazer uma aula experimental, o Centro de Treinamento da Associação dos Servidores do Tribunal de Contas da União (ASTCU), localizado no subsolo do Anexo II, oferece exercícios funcionais, além de musculação e atividade aeróbica. O clube da Associação também conta com um espaço, totalmente equipado, para treinamento funcional e para Crossfit. Filiados ao Sindilegis e à Auditar possuem descontos especiais e associados da ASTCU dispõem de descontos ainda maiores.

Mais informações, entre em contato: Laís (98107-1510/ 98277-0057) e Felipe (98104-6161). Contatos no clube: professor/coach Leonardo (99253-0123), professora/coach Cecília(99881-7880).

468 ad