Tenistas do TCU: vem aí o terceiro “San Marino Open de Tênis” no clube da ASTCU

( Jornalista:Milena Abrahão Khoury)

 

O torneio, que conta com o apoio oficial da Escola HC Tennis School, acontecerá entre os dias 10 e 24 de março, sempre nos fins de semana, a partir das 14h, no clube da Associação dos Servidores do Tribunal de Contas da União. Cada participante terá de jogar ao menos duas partidas, com exceção das duplas e da primeira classe. As categorias contemplam masculino e feminino simples, além de duplas masculinas, femininas e mistas.
Segundo o professor de tênis Hudson Cardia, responsável pela unidade da HC Tennis School do clube da associação, servidores associados e não sócios  que se inscreverem no evento concorrerão a dois meses de aulas gratuitas da modalidade. Atualmente, as dependências do clube contam com um complexo de seis quadras que oferece a infraestrutura necessária para a prática do esporte.

 

Ainda de acordo com Cardia, independentemente do torneio, jogadores iniciantes ou em nível avançado de diversas faixas etárias podem jogar tênis. “Praticar essa atividade física é uma forma de promover a competição saudável e a socialização, além de garantir a melhoria da saúde”, avaliou. Venha fazer uma aula experimental!

 

Inscrições e premiação

A organização informa que as inscrições para o evento podem ser realizadas pelo site: http://www.tenisintegrado.com.br/torneio_painel_info/index/9948; pelas lojas TN Tennis, na 213 sul e na 407 norte, ou diretamente com os organizadores Rafael Garcia e Lucas Meneguim pelos telefones: 98203-9192 e  99658-0093, respectivamente. O prazo para se inscrever se encerra no dia 7 de março.

Premiação: R$1.600, além de brindes e rodízios de pizza na patrocinadora do evento.

Pratique beach tennis no clube da ASTCU com atletas de destaque na modalidade

(Jornalista:Milena Abrahão Khoury)

Prepare as raquetes, a bolinha e venha jogar uma agradável partida de beach tennis no clube da ASTCU com atletas que ocupam as melhores colocações no ranking brasileiro. O espaço disponibiliza, agora, três exclusivas quadras de areia, com aulas sempre pelas manhãs e à noite.

O esporte, que tem atraído cada vez mais adeptos por não exigir habilidades especiais, ser divertido e possibilitar um alto gasto calórico, é considerado democrático. No entanto, seu crescimento tem sido expressivo entre o público feminino, que o classifica como fácil de praticar, além de propício para a conquista de pernas torneadas.

Associado do Sindilegis e da ASTCU e praticante da modalidade no clube da associação, o servidor do TCU Marcelo Klimkievicz tem se destacado no beach tennis. Patrocinado pelo Sindicato em dois torneios brasileiros que disputou no início deste ano, foi vice-campeão da simples masculina B e vice-campeão da Master 50 anos, em Santos (SP). Por sua vez, ao jogar em Fortaleza (CE), sagrou-se campeão da simples masculina B, vice-campeão da dupla mista B e campão da dupla masculina B. Com esses resultados, ele ocupa atualmente o primeiro lugar no ranking brasileiro dessa categoria na modalidade.

Em ótima fase esportiva, Klimkievicz convidou os colegas servidores do tribunal a participarem dos jogos no clube. “O esporte tem crescido de forma expressiva, as competições são extremamente agradáveis e a ASTCU está com uma estrutura de três quadras muito boas. O instrutor Gustavo Ribeiro está coordenando com qualidade a parte de aulas”, destacou. Vale lembrar que a associação segue investindo no empreendimento, que vai contar com a instalação de lâmpadas de led e de um bebedouro, além de uma bomba de água para molhar a areia.

O beach tenista campeão Gustavo Ribeiro

Por ter iniciado sua trajetória esportiva no tênis, Guta Ribeiro- responsável pelos treinos de beach tennis no clube da ASTCU- contou que não encontrou dificuldades para aprender a jogar e para ganhar de outros beach tenistas. “Fui tirando os vícios que trouxe do tênis e ganhei do ex- número 1 do mundo, Vinícius Font, e também do campeão brasileiro, Diogo Carneiro.”

“Eu tinha um sonho de praticar um esporte com a minha mulher e, graças ao beach tennis, consegui. Ela aprendeu rapidamente a jogar e até vencemos um torneio. É um esporte de lazer, pode ser praticado por qualquer pessoa e ainda permite que as mulheres fiquem com as pernas grossas, que é o que elas mais gostam”, descontraiu Ribeiro. Profissionalmente, ele explicou que joga em dupla com o servidor do TCU Lucas Ribeiro. “Somos os primeiros colocados no ranking de Brasília e neste ano pretendemos integrar o ranking mundial.”

Sobre o beach tennis

Criado em Ravena, na Itália, o beach tennis chegou ao Brasil em 2008.  Possui semelhanças com o tênis por utilizar 6 games,raquetes e bolinha, além de voleios( jogada em que o atleta rebate a bola para o lado adversário antes de ela cair no chão) e smash(golpe de ataque para “matar” o ponto).  Os torneios são praticados na areia, mas nada impede que a partida seja realizada na grama ou em outro piso. Pode-se jogar nas categorias dupla ou simples.

Funcionamento das aulas no clube da ASTCU

As aulas no clube, com duração de uma hora, acontecem de segunda a quinta-feira, das oito ao meio-dia e das 16h às 20h. Nesse ínterim, a quadra fica liberada para a utilização de associados. Às sextas-feiras, aos sábados e aos domingos, o espaço está aberto para jogos. As formas de pagamento podem ser feitas por meio dos planos mensal, trimestral ou semestral, sendo que sócios do Sindilegis e da ASTCU contam com descontos especiais. Mais informações com Gustavo ou Manuela pelos telefones: 98170-3478 ou 99994-0492.

 

Entrevista com o Auditor João Erismá de Moura

(Jornalista:Milena Abrahão Khoury)

Em parceria com a Associação dos Servidores do Tribunal de Contas da União (ASTCU) e demais entidades, o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) promoveu na manhã do último dia 31 um evento de celebração ao Dia Nacional do Aposentado, cuja data oficial é 24 de janeiro. Nesse dia, também se comemorou o Dia da Previdência Social.

Diante disso, a ASTCU convidou o servidor aposentado João Erismá de Moura para conceder uma entrevista em que foram abordadas questões relacionadas ao tema, além de  outros assuntos. Erismá é Auditor Federal de Controle Externo do TCU, advogado, pedagogo, escritor e associado da ASTCU.

Cumpre ressaltar que a associação, como parte integrante do TCU, respeita e honra esses nobres homens e mulheres que, durante anos de suas vidas, muito contribuíram com a sociedade por meio da prestação de um serviço público responsável e de qualidade.

 

 O que o senhor gostaria de dizer para os servidores aposentados do TCU que, após cumprirem com zelo e dedicação as atribuições do cargo, agora podem desfrutar dessa aposentadoria?

Primeiramente, gostaria de esclarecer que a criação do Dia dos Aposentados foi em homenagem à instituição da primeira lei brasileira destinada à Previdência Social, datada de 24 de janeiro de 1923 pelo então presidente Artur Bernardes: a Lei Eloy Chaves. Posteriormente, a Lei nº 6.926/81 determinou o dia 24 de janeiro como o Dia Nacional dos Aposentados no Brasil.

Como aposentado do Tribunal de Contas da União, sinto-me um privilegiado em poder usufruir do “ócio com dignidade”. Ou seja, aproveitar o fim da minha vida ao lado da minha família e dos meus amigos, realizando atividades prazerosas que deixei de lado quando me dedicava ao serviço público, sendo 30 anos no TCU, dez anos no Governo do Distrito Federal, dois anos no Ministério da Saúde e mais dois anos na iniciativa privada.

Infelizmente, o serviço público deixou de ser tão atrativo, como no passado, no sentido de não existir mais tanta segurança e garantia de uma aposentadoria tranquila e merecida, no fim de carreira dos servidores. As últimas reformas previdenciárias prejudicaram os trabalhadores, subtraindo algumas de suas conquistas, principalmente criando a obrigação de os inativos continuarem a pagar a contribuição previdenciária, além da perda de outros direitos adquiridos em épocas passadas.

 

Nesta semana, o Sindilegis – em parceria com a ASTCU e demais entidades do TCU, da Câmara, do Senado – promoveu um evento em homenagem ao Dia do Aposentado.  Como o senhor classifica essa iniciativa?

A promoção desse evento tem um grande significado e importância para os aposentados. Ser lembrado e convidado para participar dessas atividades, nessas ocasiões, já demonstra um reconhecimento e gratidão por aqueles que dedicaram a maior parte de suas vidas prestando serviços ao público. Deixo aqui os meus elogios e agradecimentos aos mentores e responsáveis pela realização do evento comemorativo.

 

Este é um ano de Copa do Mundo, de eleições majoritárias e de votação da Reforma da Previdência. Qual a perspectiva do senhor em relação a esses importantes acontecimentos e como eles podem impactar a vida do servidor público?

O quadro político atual é o mais sombrio em toda a história brasileira. Por enquanto não temos como escolher o futuro mandatário da nação. As expectativas são as mais pessimistas possíveis. Todo dia vemos políticos, empresários e servidores públicos corruptos serem condenados e presos, respondendo por seus ilícitos penais. Sou um cidadão desiludido com a política, nos moldes atuais. A minha geração já passou por muitos presidentes. Iniciando-se pelo período democrático do presidente Juscelino Kubitschek; passando por Jânio Quadros, por João Goulart, pelos presidentes militares, por mais de vinte anos; José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma e Temer. Tipos de governos para todos os gostos. Com relação a essa Reforma da Previdência, negociada na calada da noite e por meios inidôneos, a perspectiva é que o servidor público mais uma vez seja prejudicado, responsabilizado e pague pelos erros de administrações passadas, que não souberam administrar e gerir o patrimônio público corretamente, causando esses, sim, o tão falado “rombo na previdência”. Nós, servidores do TCU, como a maioria da categoria, já estamos pagando por isso desde a Reforma da Previdência de 2003 que, quebrando um contrato bilateral estabelecido, taxou os inativos, criou o teto constitucional e prolongou o tempo de serviço a ser prestado pelo cidadão no trabalho, entre outros prejuízos causados, além de retirar garantias e direitos trabalhistas duramente conquistados pela categoria, amparados pela Constituição Federal, sem ter atingido o seu objetivo principal, que seria sanar as finanças da previdência.

A Copa do Mundo será um lenitivo para os amantes do futebol, possivelmente com o intuito de disfarçar os grandes problemas políticos, econômicos e sociais dos brasileiros. Vejo o Brasil com pouca chance de conquistar mais um título. Na minha opinião, algum país europeu será o vencedor dessa competição.

 

Conte-me sobre a sua trajetória do TCU. Foram 30 anos de serviços prestados. Há alguma passagem, durante esse tempo no tribunal, que mereça ser destacada pelo senhor?

No meu quarto livro, intitulado: “Eu, minhas crônicas, contos e ensaios literários” (uma antologia), lançado em 2012, e também publicado no “União” do Tribunal de Contas da União, tenho um trabalho literário produzido com o nome de: ‘Meu Ingresso no Tribunal de Contas da União’. Nele narro com detalhes o cenário encontrado naquele longínquo 22 de outubro de 1973 e nos anos subsequentes. Tomei posse no TCU nessa data e fui aprovado em dois concursos públicos, permanecendo no tribunal entre 1973 e 2003, onde exerci diversas funções comissionadas, entre elas, auxiliar de gabinete, secretário-datilógrafo, assistente-secretário, chefe de seção de administração, assessor e, por dezoito anos, chefe de gabinete do procurador-geral, função na qual me aposentei como Auditor Federal de Controle Externo. O TCU foi minha verdadeira casa profissional, oferecendo-me mais do que eu merecia. Só tenho a agradecer toda a experiência e realização adquiridas naquela colenda Corte de Contas. E seria até injusto se não citasse o grande jurista e ser humano exemplar Francisco de Salles Mourão Branco, subprocurador-geral do Ministério Público junto ao TCU, meu eterno mestre e com quem muito aprendi naquele órgão.

Tenho vontade de escrever um livro sobre o TCU, “a melhor Casa do serviço público”, aí sim, contaria muitas histórias interessantes lá vivenciadas. Mas acredito que o tempo que me resta não permitirá realizar mais esse desejo.

                                                          

 

 

O senhor já foi diretor da ASTCU. Que balanço o senhor faz da associação na sua época? Qual a sua opinião acerca da atual gestão?

Em um breve histórico, no período de 1980/1982 fui eleito e exerci a função de segundo-secretário; entre 1994 e 1996 fui eleito e exerci a função de diretor financeiro; entre 2012 e 2014 fui eleito em primeiro lugar e exerci a função de conselheiro fiscal da Associação do Servidores do Tribunal de Contas da União. No decorrer de várias gestões, fiz parte da Diretoria da ASTCU, nos setores esportivo e social. Tenho uma foto histórica, no lançamento da Pedra Fundamental da associação. Essa entidade sempre foi muito atuante, embora tenha recebido pouca ajuda e apoio das autoridades do TCU. Seria injusto se não reconhecesse o empenho de alguns ministros que lutaram pela aquisição do terreno e algum apoio junto a outros órgãos públicos, em busca de soluções para resolução de problemas relacionados ao clube. A sua permanência se deve àqueles servidores que, com amor e dedicação, mantêm a chama acesa da ASTCU e vestem a camisa da associação por acreditarem no seu potencial e nos benefícios que ela pode proporcionar aos seus associados.

As últimas Diretorias trabalharam muito em prol da ASTCU, mesmo enfrentando as dificuldades que minha gestão experimentou, principalmente as de razão financeira. E conseguiram atravessar os períodos mais espinhosos dos seus mandatos. Tanto é que o clube cresceu muito e já oferece atrativos para os seus sócios, sobretudo nas modalidades esportivas de tênis, futebol de campo e society e crossfit. Carece, entretanto, de melhorias. Mas acredito na atual gestão e nas parcerias firmadas com o Sindilegis, com a Asap e com o Legis Club. Atrair parceiros é a tendência para instituir um clube que irá suprir, cada vez mais, as demandas de seus associados.

 

 

 

O senhor aprecia futebol. Discorra sobre a Seleção TCU. Ela está em um momento favorável? Quando ela foi criada?

A atual Seleção TCU de Futebol Master foi revigorada por um grupo de servidores sob a direção de Renato Arrochella, com o auxílio do diretor de esportes, Sandoval Batista. Na verdade, deu-se continuidade a uma antiga prática esportiva de servidores que gostam e jogam futebol nas dependências do clube da ASTCU.  Eu fiz parte da criação da primeira Diretoria, exercendo as funções de diretor financeiro e social.

São atividades como as que a Seleção do TCU está realizando que deixam suas marcas na instituição, pois os homens passam, mas as suas ações ficam. Espero que o grupo continue coeso, amigo, responsável e cumprindo essa missão tão importante que é dar prosseguimento à família TCU, amiga e solidária, sempre presente entre nós. Fatos tão difíceis nos dias atuais.

Faço parte desse seleto grupo desde 22 de outubro de 1973. Nesse tempo, jogávamos em um campinho de areia na Asa Norte, próximo aos Anexos dos Ministérios e também em um campo pertencente ao Ministério das Relações Exteriores, quando a grande maioria dos atuais jogadores nem tinha nascido. Boa parte dos colegas já não está mais conosco, embora seus desempenhos, brincadeiras, piadas e encontros correndo atrás de uma bola sejam inesquecíveis. Figuras marcantes daquele período foram o falecido Calduro, o Zezinho, o Gaúcho, o Betinho, o saudoso Mineiro (nosso massagista), o falecido Clive e o Rochinha (nosso fotógrafo e cartola botafoguense); e, posteriormente, o Galeno, o Canário, o Carlão, o Luciano, o Paulo César, o James,o Paulão, o Evaldo,  o Wilson, o Carlinhos, o Nazareno, o Jair , o  João Correa, o Chiquinho, o Oldair, o Souza,  o Valdeone, os Melchior, o Diniz e o Arly (nossos técnicos) e dezenas de outros colegas que me desculpo de não citá-los. Seus nomes não caberiam em duas folhas de papel, mas tiveram a mesma importância na criação, manutenção e defesa do nome do TCU, representando o órgão em diversos campeonatos realizados em Brasília, em Goiás, em Minas Gerais e no Tocantins.

Posteriormente, sob a responsabilidade do Afonso Velez, demos continuidade à prática esportiva, com uma equipe intitulada “Veteranos Independentes”. Jogamos em vários estados e mantivemos acesa essa tocha da continuação do futebol no TCU.

Em 2015, Renato Arrochella tomou a iniciativa, juntamente com outros novos colegas do TCU, para dar continuidade à formação desse grupo de servidores que gosta do futebol. Boa parte dos colegas já é de veteranos, embora esteja em plena atividade futebolística. A equipe tem como objetivos principais disputar campeonatos da mesma categoria, reunir-se para comemorações e churrascos, viajar para a realização de amistosos e manter um grupo de amigos, usufruindo de diversas atividades prazerosas, em que reina a confraternização, o congraçamento, o lazer, a amizade, a reunião familiar, os bons papos, a música e a cerveja. É como se fôssemos uma verdadeira família.

 

O que o senhor gosta de fazer nas horas de lazer?

Viajo muito, faço minhas caminhadas, realizo práticas esportivas, visito os amigos, leio bastante, escrevo diariamente, pois pertenço a duas Academias de Letras, gosto de jogar futebol, baralho e futsal, tocar piano, sou pesquisador musical, frequento cinemas, shows musicais, teatro e já escrevi e editei quatro livros, tendo dezenas de trabalhos literários a ser editados. Colaboro com trabalhos jurídicos e administrativos em clubes, associações e OAB/DF, além de administrar alguns imóveis que possuo. Sendo assim, acredito que ocupo o meu tempo muito bem.

 

 

O que a experiência de vida ensinou ao senhor?

Considero o auge da minha carreira o dia em que recebi o Título de Cidadão Honorário de Brasília, outorgado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, em quatro de junho de 2013. Naquela sessão solene, atribuí aquela honraria como um prêmio a mim dedicado pelo reconhecimento, por parte da população do Distrito Federal, da prestação de serviços considerados relevantes para esta cidade e seus habitantes. Na ocasião, discorri sobre o meu passado abordando temas como: minha vida, meus trabalhos relevantes e atos de interesses sociais desenvolvidos, ações e serviços beneficentes prestados, elogios recebidos, condecorações e trabalhos escritos sobre a capital federal. Sem falsa modéstia, tenho consciência da minha dedicação a Brasília, essa cidade que me acolheu e acolhe por mais de cinquenta e cinco anos, pois aqui cheguei em 13 de julho de 1962.

E, para concluir, naquele meu longo discurso (como é habitual), eu já assegurava que o meu Curriculum Vitae estava praticamente encerrado. Brasília, minha família e meus amigos me ofereceram e me ajudaram muito mais do que eu merecia.  Em resumo, nada para mim tem significado quando a conquista dos nossos sonhos é alcançada sem dificuldades e lutas. Em tudo que praticamos, deve haver o amor, a determinação e o prazer em sua realização. Nada nesse mundo tem valor se ao nosso lado não existirem a nossa família e os nossos amigos. Parafraseando Fernando Pessoa: “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.

 

Que mensagem o senhor gostaria de transmitir para encerrar esta entrevista?

Primeiramente, quero agradecer a oportunidade de mostrar um pouco da minha vida, do meu pensamento e da minha história nessa entrevista concedida à jornalista Milena Abrahão. Quero deixar uma mensagem de otimismo para os brasileiros, esperando que dias melhores sejam bem-vindos e que não deixemos que uma parte da população consiga inverter os valores e princípios fundamentais que aprendemos quando criança, tais como: amor à pátria, civismo, ética, lealdade, respeito às instituições e responsabilidade com os nossos atos e nossas obrigações.

Venha comemorar o Dia do Aposentado com o Sindilegis!

(Fonte:Sindilegis)

Filiados terão manhã animada no dia 31 de janeiro, com diversas atividades, boa música e serviços especiais. Evento irá ocorrer na Assefe, a partir das 8h

 

Os aposentados terão uma programação pra lá de especial, na próxima quarta-feira (31), a partir das 8h, nas dependências da Assefe. Para comemorar o Dia do Aposentado, o Sindilegis preparou uma série de atrações, que incluem massagem relaxante, serviços de saúde, boa música, palestras, além de um café da manhã delicioso.

Durante toda a manhã, os aposentados poderão relaxar com uma Quick Massagem oferecida por fisioterapeutas especialistas em fisiologia do corpo. Os homenageados também vão contar com serviços de saúde, como aferição de pressão e testes de glicemia e diabetes. Haverá palestras, show com o músico Goya – da Câmara dos Deputados –, distribuição de brindes e uma programação cultural pensada nos aposentados.

Para o presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão, será um momento de descontração e de relaxamento para os aposentados. “Queremos fazer uma singela homenagem àqueles que se esforçaram durante toda a vida de trabalho para fazer do Brasil um país melhor. Será uma forma de parabenizar os aposentados pelo seu dia e esperamos que eles possam aproveitar bastante as atividades que estamos propondo para eles”.

O evento contará com a parceria de várias entidades, como Ascade, Assefe, ASTCU, Asa-CD, Assisefe, ASAP-TCU e Legis Club Brasil.

 

Comunicado aos associados e demais servidores

Atenção, associados e demais servidores:

A Diretoria da ASTCU informa que sócios e dependentes não pagam a taxa de R$10(dez reais) para a utilização da piscina grande.

Em contrapartida, os convidados dos associados, se quiserem usar a piscina de adulto, devem pagar uma taxa simbólica de R$10(dez reais por pessoa) para manutenção da piscina grande.

Muito obrigada pela compreensão.download (1)

ASTCU anuncia melhorias empreendidas

(Jornalista:Milena Abrahão Khoury)

O cenário de 2018 reserva aos brasileiros a votação da Reforma da Previdência, além de eleições majoritárias e da Copa do Mundo. Será um ano de potencial alteração do status quo.

Dentro dessa perspectiva de mudança, a ASTCU pugna pela rejeição à PEC 287/2016, almeja que o Brasil eleja representantes realmente comprometidos com a coisa pública e torce para que os brasileiros comemorem o hexacampeonato. E, imbuída desse espírito de renovação, a associação deseja boas-vindas aos seus associados neste 2018 e elenca abaixo as benfeitorias realizadas até 2017:

– excelente estrutura com seis quadras de tênis – no saibro – para associados, além de espaço do tenista em fase de conclusão (contato:99318-8300, Daniel);

– expansão do box de crossfit, com um segundo pavilhão reservado para aulas de jiu-jítsu e de krav maga(luta de defesa pessoal), além de um quiosque com alimentação saudável (contato: 98436-3068, Rodrigo);

– edificação em andamento da segunda quadra de pádel,com área de lazer  e urbanização. As quadras da modalidade, que mescla tênis com squash, são exclusivas em Brasília (contato: 98134-0400, Joan);

– campos de futebol e de futebol society totalmente revitalizados, sendo que este último se tornou referência na capital federal (contatos: 98471-0617, Renato Arrochella/ 99994-8489, Geraldo);

– entrega de três novíssimas quadras de beach tennis no clube. O professor dessa atividade é o atual número 1 de Brasília, e os jogos da modalidade das Olimpíadas dos Tribunais de Contas de 2017 foram disputados nesses espaços (contato: 98170-3478/ 98170-3478, Gustavo);

– academia nas dependências do TCU (contato: 98104-6161, Felipe);

– bar equipado, modernizado e com uma variedade de produtos comercializados (contato: 99994-8489, Geraldo);

– liberação da piscina grande para uso dos sócios e de seus dependentes;

– revitalização da grama que compõe o espaço do crossfit, com inserção de um brinquedo para crianças no local;

– colocação de catraca na entrada do clube;

– troca da rede da quadra de voleibol de areia;

– iminência de reforma dos vestiários;

– churrasqueira grande com 14 jogos de mesas e com freezer horizontal (contato: 3316-7184/7321,Yara);

– oito churrasqueiras pequenas (contato: 3316- 7184/7321,Yara).

Gasolina mais em conta para associados da ASTCU.

(Fontes:Sindilegis/ASTCU)

Associados da ASTCU poderão abastecer o carro pagando apenas R$ 3,69 no litro da gasolina comum e R$ 4,05 na aditivada.

Cada participante poderá adquirir dois vouchers de 20 litros de gasolina comum e mais dois de 20 litros de aditivada, somando 80 litros por CPF.  Basta gerar o bilhete no site do Legis Club Brasil (legisclub.org.br) e apresentar o código nos postos da Disbrave (exceto no posto do Lago Norte). O pagamento deverá ser feito diretamente no posto de combustível.

A promoção é válida até o dia 31 de janeiro. Portanto, aproveite!

Confira o passo a passo para gerar o seu voucher:

  1. Acesso o site do Legis Club Brasil (legisclubbrasil.org.br);
  2. Faça o login na área restrita;
  3. Clique na opção VOUCHER GASOLINA;
  4. Selecione a opção de quantidade de vouchers de gasolina comum e/ou aditivada e clique na opção GERAR.

Para outras informações sobre as próximas promoções, é necessário atualizar os dados cadastrais diretamente com o Legis Club Brasil. A atualização pode ser feita pelo site www.legisclub.org.br ou pelo telefone (61) 3223-7705.

ENDEREÇO DOS POSTOS DISBRAVE:

Obs.: O posto LAGO NORTE não faz parte da ação  por não pertencer mais à rede DISBRAVE.

– Asa Norte – Posto Disbrave 503 Norte – Bandeira Shell (24h)

SEP/Norte Quadra 503 Conj. A – W3 Norte – Asa Norte (Ao lado da concessionária V12)

– Asa Sul – Posto Disbrave Imperial – Bandeira Shell (24h)

Setor Hoteleiro Sul, Quadra 02 Bloco F – Pll – Asa Sul (Ao lodo do Hotel BonaParte)

– Estrutural – Posto Disbrave Estrutural – Bandeira Petrobras

Quadra 10 Conj. 02 Lote 08 – SCIA – Guará

– Guará – Auto Posto Friday – Bandeira Shell (24h)

QE 20 Lote I PLL S/N – Guará I

– Núcleo Bandeirante – Auto Posto São Marcos – Bandeira Shell (24h)

SMPS Rodovia Brasília/Anápolis Lote 02 – Núcleo Bandeirante (Ao lado do Paraíba Carne de Sol)

– Sobradinho – Posto Disbrave Sobradinho – Bandeira Shell (24h)

Área Especial nº 1 Quadra 11 – Setor de Expansão Econômica – Sobradinho

– Posto Disbrave – Bandeira Shell (24h)

Rodovia BR-040 KM 12 Quadra 01 Lote 01 Gleba F – Parque Esplanada III – Valparaiso de Goiás.

Servidores celebram apresentação musical em homenagem aos 90 anos de Tom Jobim

(Jornalista:Milena Abrahão Khoury)

Projeto contempla as Quintas Musicais

Na tarde última quinta-feira (7), o Auditório Arnaldo Prieto foi palco de homenagem aos 90 anos de Antônio Carlos Jobim. Durante 1h30, servidores tiveram a oportunidade de apreciar as mais belas canções do maior expoente da MPB. A ação, uma iniciativa da ASTCU em parceria com a Auditar e com a Mercante Seguros, integra o projeto Quintas Musicais, que tem como finalidade proporcionar lazer e interação, além de estimular o intercâmbio cultural no TCU.

 

Na ocasião, o Trio Sambrasil- cujo repertório é totalmente dedicado a Tom Jobim e a seus principais parceiros musicais, em especial, o compositor e poeta Vinicius de Moraes, Baden Powell e Toquinho –  e o saxofonista José Voltaire uniram seus talentos para protagonizar uma apresentação impecável. E, para traduzir em palavras toda a emoção transbordante da alma de Vinicius de Moraes, o poeta Newton Lima emocionou a plateia com declamações de poesias do “poetinha”. Na lista de poemas, A Ausente, A Rosa de Hiroshima, Poética, Soneto do Amor Total e Dialética.

 

Segundo o presidente da ASTCU, Regis Machado, em meio à rotina  desgastante de trabalho, as Quintas Musicais contribuem para o bem-estar e para a qualidade de vida dos servidores ao proporcionarem momentos de descontração com música ao vivo de qualidade.

 

“Atendendo a sugestões, a partir de 2018, o evento passará a se chamar Quintas Culturais e abrangerá, também, outras manifestações artísticas, envolvendo servidores cujo talento não é conhecido pelos colegas do tribunal. Aproveitando o ensejo, não posso deixar de mencionar que achei sensacional a declamação de poesia realizada pelo servidor aposentado José Carlos Nascimento”, pontuou Machado. De forma descontraída, o servidor inativo subiu ao palco e declamou “Sem Medo”.

 

“Ações como essas são muito proveitosas para nós, servidores, em razão do trabalho estressante que desenvolvemos. Portanto, esse tipo de relaxamento é essencial. Gostei muito da iniciativa da ASTCU e da apresentação. Agradeço à associação a iniciativa e proponho que ela continue a promover esses eventos, que são muito interessantes”, sugeriu o servidor Mauro Antônio Toledo, da SecexFazenda.

 

Repertório executado

Brigas Nunca Mais, Berimbau, Este Seu Olhar, Wave, Só Tinha de Ser com Você , Luiza, Só Danço Samba, Regra Três ,O Morro Não Tem Vez, Água de Beber ,Garota de Ipanema, Chega de Saudade ,Insensatez, Falando de Amor ,Desafinado, Eu sei que Vou te Amar ,Deixa.

Terceira edição das “Quintas Musicais” homenageia Tom Jobim

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Para homenagear os 90 anos de Tom Jobim, a ASTCU- por meio do projeto Quintas Musicais- apresenta no dia 7 de dezembro, às 16h, no auditório Arnaldo Prieto (Anexo III, térreo), o Trio Sambrasil.   O objetivo da proposta é divulgar a boa música que, além de proporcionar lazer e interação, estimula o intercâmbio cultural. Na ocasião, será servido um coquetel de abertura para os servidores.

O repertório dos músicos Diego Prestes, Wander Santos e Almir Cássio é totalmente dedicado ao maestro Antônio Carlos Jobim e a seus principais parceiros musicais, em especial, o compositor e poeta Vinicius de Moraes, Baden Powell e Toquinho. Serão 20 canções ao todo, executadas por dois violões e percussão.

A apresentação terá duração de 1h30. Durante esse período, além da execução das canções, os artistas recordarão histórias relativas às composições. Serão reveladas curiosidades sobre o repertório, além de declamações de poesias de Vinicius de Moraes realizadas por um poeta de Brasília. Na lista de poemas, Ausente, A Rosa de Hiroshima, Poética, Soneto do Amor Total e Dialética.

Tom Jobim

Antônio Carlos Jobim completaria, em 2017, 90 anos de vida. Com vasto repertório musical e um dos precursores da Bossa Nova, esse singular compositor e instrumentista é ganhador do Grammy .

Apresentação

O Trio Sambrasil é composto por artistas brasilienses graduados em música pela UnB, local onde se conheceram e iniciaram suas carreiras. Possuem mais de cinco anos de estrada, participando de vários eventos culturais em Brasília e em outros estados.

Servidores- atletas do TCU levam tribunal ao primeiro lugar na Olimpíada dos Tribunais de Contas 2017

(Jornalista:Milena Abrahão Khoury)

Com o melhor desempenho, o TCU sagrou-se campeão da Olimpíada dos Tribunais de Contas 2017. Ao todo, o tribunal conquistou 52 medalhas, sendo 19 de ouro, 17 de prata e 16 de bronze. O evento, sediado em Brasília entre os dias 28 de outubro e 2 de novembro, reuniu servidores dos Tribunais de Contas de todo o Brasil e do Uruguai motivados pela competição e, sobretudo, pelo espírito olímpico.

 

O objetivo da OTC, cuja realização já se tornou tradição entre os Tribunais de Contas, é estimular a integração, o congraçamento e o enfrentamento de obstáculos cotidianos, além de promover a busca pela melhoria da qualidade de vida do servidor, atenuando o estresse diário.

 

Integraram o rol de atividades esportivas oferecidas no evento as seguintes modalidades: futebol society, futebol de salão, voleibol indoor, voleibol de praia,  tênis de campo, tênis de mesa, corrida  de 5km e  de 10km, pesca esportiva, beach tennis, tiro esportivo, basquete, futevôlei, natação, bocha,  boliche, dama, dominó, pebolim, pôquer, truco, sinuca e xadrez.

 

Medalhistas da OTC 2017

Das mãos irretocáveis do colecionador de medalhas Marcelo Klimkievicz, que compôs dupla sênior com o ministro Augusto Nardes, livre com Luiz Gustavo Andrioli e master com Guilherme Barbosa, o TCU garantiu três ouros. Klimkievicz também subiu no pódio pela simples sênior e ainda ganhou duas pratas nas categorias simples livre e master. Guilherme Barbosa levou uma prata na simples sênior.

 

Em um jogo em que os adversários do TCE-SP fizeram muita catimba, o futsal masculino garantiu a prata para o TCU. A equipe do tribunal esteve representada pelos servidores-atletas Alison Souza, Yuri Carvalho, Gerson Sousa, Renilson Barboza, Lucas Santa Ana, João Marcos Ribeiro Santa Ana, Rafael Bittencourt,  Luiz Gustavo Andrioli, Leonardo Costa, Cláudio Nogueira e Raphael Gomes.

 

No voleibol de areia feminino de dupla master, Simone Barbosa e Adalgisa Soares conquistaram o ouro olímpico. As atletas mostraram um alto nível de jogo e derrotaram com facilidade as adversárias. Com sua parceira de quadra, Bruna Mara Couto, Barbosa também conquistou o bronze na categoria dupla livre. Por sua vez,  Carline Alvarenga e Luciana Schneider festejaram o bronze olímpico na dupla master. No masculino master, a dupla Lúcio Menezes e Walisson Correia ficou com medalha de bronze.

 

No beach tennis, Alessandra Santos e Rosa da Silva Rêgo, revelações na modalidade, levaram medalha de prata na dupla livre. Alessandra Santos, que iniciou seus treinos há poucos dias da competição, também ganhou a medalha de bronze na categoria simples livre.  Por sua vez, Simone Barbosa ficou com a medalha de prata na categoria simples master.

 

Nessa mesma modalidade, na categoria masculina, a destacada participação de Marcelo Klimkievicz conduziu o atleta à medalha de ouro na simples master e na simples livre. Ele também conquistou mais dois ouros, sendo um na dupla master, com o experiente Lúcio Menezes, e o outro na dupla livre com o construtor de bonitas jogadas, Fernando Pochyly, que ainda ficou com a prata na simples livre. Entrosada, a dupla Yuri Carvalho e Lúcio Menezes garantiu o bronze na livre.

 

 

Renata Leal Couto, Lívia Fernanda, Ana Beatriz Lemos, Bruna Mara Couto, Carline Alvarenga, Cláudia Vieira Pereira, Adalgisa Soares, Lucimar Vieira, Dione de Cerqueira, Simone Barbosa, Luciana Schneider, Aline Ferreira e Sarah Souto, as meninas de prata do voleibol indoor feminino, aliaram talento e raça na acirrada partida contra o TCE- PI.

 

Com o pescoço envolto em medalhas, Patrícia Maria Skolaude Corrêa manteve a liderança no pódio da natação ao conquistar quatro pratas (nos 25m livre, nos 25m costas e nos 25m borboleta sênior, além do revezamento 4x25m livre, em parceria com Cláudia Vieira Pereira, Carline Alvarenga e Aline Rodrigues). Além disso, ficou com o bronze nos 25m peito sênior. Repleta de disposição, Margarida Rodrigues Ferreira conquistou três bronzes nos 25m livre, nos 25m costas e nos 25m peito na categoria best sênior.

 

Na natação masculina, o TCU também se fez presente no pódio com o bronze de Rodrigo Márcio, Eduardo Monteiro, Eugênio Vilela e Marcelo Orlandi no revezamento 4x25m livre. Somada a essa medalha, o veterano Antônio de Moura Lima ainda trouxe mais uma de bronze e uma de prata para o tribunal nos 25m costas e nos 25m peito, respectivamente, na categoria best sênior. Marcelo Orlandi fechou o quadro de medalhas com um bronze no 25m costas master.

 

 

Com estratégia, Flávio Sposto assegurou a medalha dourada no xadrez, bem como a dupla Lívia Fernanda e Adalgisa no boliche feminino.

 

No Pebolim do TCU deu a dobradinha Pedro Freitas e Clindemberg Mendes  Patrício, com a medalha dourada, e Marcus Borela e Breno Soares, que garantiram a prata para o tribunal.

 

No tiro masculino, o TCU mirou em três vitórias, conquistando o título com Oscar Rocha, a prata com Rommel Brandão e o bronze com Jordão Poletto. Por sua vez, mesmo febril, Tatiana Corrêa garantiu o ouro na mesma modalidade, categoria feminina.

 

Com destreza, Rosana Oliveira foi prata no tênis de mesa individual e ouro, com a raça de Maria Quarta, no tênis de mesa em dupla master.

 

Habituado com o degrau mais alto do pódio, Renilson Barbosa reiterou sua invencibilidade com um ouro na corrida de 10 km livre. Antônio de Moura Lima conquistou o ouro no best sênior, corrida 10km, e Marcelo Orlandi e Breno Soares ficaram com o ouro e com a prata, respectivamente, na corrida de 10km do master. Superando desafios, Cláudia Jordão abocanhou um ouro nos 5km livre, categoria feminina. Já Ana Maria Alves, assegurou o bronze nos 5km master.

 

Em um jogo emocionante decidido nos pênaltis, – assim como foi a disputa pela vaga na semifinal-  o futsal feminino, representado por Alessandra Santos, Renata Leal Couto, Lívia Fernanda, Manuela de Andrade, Maria Quarta, Rosa da Silva Rêgo, Deane D’ Abadia, Ana Beatriz Lemos, Ana Maria Alves e Rosana Oliveira, conferiu medalha de prata ao TCU.

 

 

Dione de Cerqueira, Renata Leal Couto, Alessandra Santos, Ana Beatriz Lemos, Lucimar Vieira, Ana Cristina Coutinho, Patrícia Maria Skolaude Corrêa, Cintia de Lima, Deane D’ Abadia e Manuela de Andrade ainda acumularam mais uma medalha para os esportes coletivos do TCU: dessa vez, um bronze olímpico no basquete.

 

Garra e um incrível espírito de equipe marcaram a partida de basquete dos meninos de ouro Uriel Papa, Victor Moraes, Pedro Freitas, Carlos Siqueira, Marcelo Freire, Rommel Brandão, Oscar Rocha, Fábio Guimarães, Eugênio Siqueira e Ivan Rogedo.

 

 

Pronunciamento do ministro Augusto Nardes

Na cerimônia de encerramento da OTC, o ministro Augusto Nardes agradeceu a presença dos servidores-atletas dos diversos estados brasileiros e dos “irmãos” uruguaios no evento e enfatizou que o esporte é uma forma de integrar e de buscar amigos para compartilhar momentos de alegria. Ele ainda destacou que o Controle Externo é única instituição capaz de transformar o Brasil.

Nardes ainda sugeriu uma moção de aplausos aos Conselheiros dos Tribunais de Contas dos demais estados e rendeu homenagem ao presidente do Comitê da Olimpíada dos Tribunais de Contas, Conselheiro Wilson Wan-Dall(TCE-SC) e  aos organizadores da competição, Evandro Arruda (TCE-PR), Alison Souza e Simone Barbosa, bem como ao servidor Telmo Urasato, que faleceu durante a competição.

E, para concluir seu pronunciamento, arrematou: “O mais importante na relação humana é ter amigos e aqui estão os amigos do Controle Externo do Brasil e do Uruguai”.