Em clima de congraçamento, TCU conquista o título de campeão geral da VI Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Com um desempenho expressivo, o Tribunal de Contas da União sagrou-se campeão geral da VI Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul, contabilizando dez medalhas de ouro, 23 de prata e dez de bronze. O evento aconteceu entre os dias 1º e 6 de maio, em Foz do Iguaçu, e contou com a participação de cerca de 1.100 atletas de 35 delegações, sendo 21 brasileiras e 14 argentinas. Em uma semana recheada de emoções, servidores reuniram-se em busca de propósitos semelhantes: unir esforços em prol da prática desportiva e da qualidade de vida, além de estimular a integração e a convivência salutar no ambiente de trabalho. Nesta olimpíada, a antiga rivalidade entre Brasil e Argentina cedeu espaço ao estabelecimento de vínculos de amizade.

Entre as modalidades esportivas oferecidas, constaram futebol society, futsal, xadrez, dama, dominó, natação, pebolim (futebol de mesa), basquete, vôlei (de quadra e de areia), tênis (de quadra e de mesa), corrida (5 km e 10 km), bocha, boliche, sinuca, pôquer, truco, pesca e tiro ao alvo.

A abertura oficial iniciou-se com uma cerimônia solene, seguida de um jantar, e aconteceu na noite do dia 1º no Rafain Palace Hotel & Convention. Às autoridades e aos patrocinadores foram entregues medalhas de honra. Também participaram da solenidade delegações dos Tribunais de Contas do Brasil e da Argentina e seus convidados.

Atuação dos atletas medalhistas

Com jogadas espetaculares, superação de limites, raça, ousadia e congraçamento, os 110 atletas da delegação do TCU deram um show nas piscinas, nas quadras e fora delas. Foi assim que começaram a bordar o sonho do pódio.

Com motivo de sobra para comemorar, a servidora Patrícia Maria Corrêa se agigantou nas piscinas e conquistou, pela categoria sênior, quatro medalhas de prata nos 25 metros borboleta, crawl, costas e peito. Segundo a nadadora, tais resultados foram fruto da dedicação aos treinos realizados no clube da ASTCU, sob o olhar atento do professor Carlos Simpson.

Ao ser questionada sobre a relevância do evento, ela avaliou que – mais importante do que receber medalhas- é a oportunidade de integração entre os colegas de trabalho com interesses similares: a busca por qualidade de vida e pelo estreitamento das relações de amizade.

A atleta Cláudia Vieira Pereira também se destacou na piscina.  Ela trouxe medalha de prata nos 25 metros borboleta da categoria master. Estendendo sua atuação às quadras e às areias, fez bonito ao lado de competidoras não menos talentosas. Com a equipe do vôlei de quadra- composta por Lívia Fernanda, Dione Mary, Lucimar Vieira, Bruna Mara, Andréia Alves, Simone Barbosa, Manuela de Andrade, Aline Ferreira, Sarah Souto, Adalgisa Soares e Renata Leal Couto- Cláudia alcançou a prata em uma bela partida contra o TCE- PB.

Para Renata Leal Couto, estreante em olimpíadas de tribunais, o time de vôlei jogou bem. “É claro que precisamos ajustar alguns pontos, mas também existe a questão do nervosismo da primeira vez aqui”, pontuou. Empolgada com a prata, ela disse que o foco agora é treinar com mais afinco em busca do ouro.

Sobre a realização dos jogos dos tribunais, ela argumentou que o esporte é extremamente agregador. “Ele me trouxe amizades, convívio e relacionamento dentro do TCU”, ponderou. Além disso, mencionou o papel fundamental da ASTCU e do Sindilegis no apoio aos treinamentos esportivos, na organização e na estrutura do evento, respectivamente.

Lívia Fernanda, integrante do time de vôlei de quadra desde 2011, destacou que o esporte funciona como uma blindagem. “Posso estar com problemas pessoais ou no trabalho. Mas, ao entrar em quadra, tudo desaparece”, frisou. E reforçou a opinião da outra atleta em relação ao comprometimento da ASTCU e do Sindilegis com o evento.

No vôlei de praia, Simone Barbosa e Cláudia Vieira Pereira arrasaram, trazendo medalha de prata com sabor de ouro para o TCU. Em uma rotina intensa de jogos, as atletas decidiram a final no tie- break.  A partida, bastante equilibrada, foi marcada por belas jogadas contra a dupla do TCE- SC. As jogadoras de Brasília demonstraram superioridade técnica, habilidade e raça durante a disputa e ainda contaram com a animação da torcida para aliviar a tensão.

Outro time de esportes coletivos femininos que trouxe medalha foi o futsal, integrado por Lívia Fernanda, Renata Leal Couto, Adalgisa Soares, Sarah Souto, Alessandra Fonseca, Rosa Virgínia, Patrícia Maria Corrêa, Deane D´Abadia, Walderez de Melo e Rosana Oliveira. Elas ficaram com o bronze. Rosana Oliveira aumentou o número de medalhas, presenteando o TCU com a prata no tênis de mesa feminino simples. No boliche, a dupla Lívia Fernanda e Adalgisa Soares combinou talento e perícia ao lançar a bola na pista, ficando com a prata ao enfrentar o TCE- RS.

Correndo literalmente atrás de medalhas, Rita de Cássia Pinto da Secex/MG (categoria sênior) e Shirley Cavalcante (categoria master) subiram no pódio com um ouro e um bronze, respectivamente, na corrida de 10 km. “É a minha primeira vez em uma olimpíada dos tribunais e confesso que minhas expectativas foram superadas. O evento estava organizado, as delegações unidas e a torcida, animada” constatou a ganhadora da medalha dourada. No dominó feminino, a dupla Walderez Moura e Salete Palma estreou nas olimpíadas em clima de vitória: ganhou a medalha de ouro. E não teve para ninguém nessa modalidade. O dueto composto por Márcia Aquino e Ester Oliveira foi medalha de bronze. Estimulado por esses resultados, o quarteto já planeja as próximas olimpíadas. Em um excelente ritmo de jogo no tênis de campo livre simples feminino, os golpes certeiros da raquete de Andréia Araújo levaram o TCU ao bronze.

Entre os atletas masculinos, em uma atuação sem reparos, Renilson Barboza dos Santos conquistou a medalha dourada na corrida de 10 km, categoria masculino/livre. O atleta completou a prova em apenas 36 minutos.  Cássio Vidal, de categoria similar, também brindou o TCU com medalha de prata, assim como Jair Francisco Corrêa na categoria sênior.

Na corrida de 5 km, Klauss Henry da Secex/MG destacou-se pela categoria masculino/master e levou prata. Já Neuder Leite sobressaiu-se na categoria masculino/livre e foi bronze. O servidor Carlos Guimarães também brilhou nessa modalidade, trazendo ouro na corrida de 10 km, categoria masculino/master. Seu ótimo desempenho, no entanto, ultrapassou o asfalto, e seu talento reluziu nas águas da piscina do ginásio Costa Cavalcante.

Na natação, categoria masculino/master, foi medalha de prata nos 25 metros borboleta e medalha de bronze nos 25 metros crawl e costas. E, numa sequência de movimentos impecáveis, conquistou o ouro olímpico em parceria com os gigantes Marcelo Klimkievicz, Arby Rech e Reinaldo Moreira no revezamento 4x25m, categoria masculino/master. Nessa trajetória vitoriosa, o quarteto formado por Rodrigo Benevides, Bruno Loureiro, Cássio Vidal e David Raick também foi ouro no revezamento 4x25m, agora na categoria masculino/livre. Raick, pela categoria masculino/livre, ainda ganhou medalha de prata no nado costas e completou o pódio com bronze no estilo borboleta. “Foi uma experiência inigualável. É a minha primeira participação em uma olimpíada e estou muito feliz com meus resultados. Além disso, o esporte é o grande responsável por estender minha rede de amizades, inclusive com outros tribunais”, comemorou o atleta.

No tênis de campo simples, categoria masculino/livre e masculino/master, respectivamente, Rodrigo Motta e Luiz Gustavo Andreoli não deram chance aos seus oponentes, ficando ambos com medalha de ouro. No tênis de campo em dupla- categoria masculino/livre- o talento de Rodrigo Motta e de Marcelo Klimkievicz foi evidenciado com a conquista do ouro olímpico. E quem disputou essa partida com os campeões foram os parceiros Luiz Gustavo Andreoli e Robson da Silva Chagas. Mostrando habilidade durante os jogos, estes últimos ficaram com a medalha de prata. Superando as expectativas de medalha, Motta e Klimkievicz levaram prata no tênis de mesa masculino em dupla. Imbatível, Marcelo K também trouxe bronze no tênis de mesa masculino simples.

No tênis de campo simples, categoria masculino/livre, Lucas Sant´Ana e Klauss Henry fizeram bonito e brindaram o TCU com uma prata e um bronze, respectivamente. Marcelo Klimkievicz também foi destaque nessa modalidade pela categoria masculino/master e ficou com a prata. No Pebolim, graças à destreza para girar os manetes, a dupla Yuri Carvalho e João Marcos Ribeiro de Sant`Ana conquistou medalha de prata. Acertando o alvo com precisão, Oscar César Rocha protagonizou as cenas da modalidade tiro, ficando com o ouro. E, com ótimo desempenho, Rommel Brandão atirou rumo à medalha de prata.

Nos jogos coletivos, a Seleção TCU de futebol society master ficou com a prata. O jogo de estreia foi marcado por momentos de tensão. Nos primeiros minutos do 1º tempo, Reinaldo Lima contundiu-se, e o jogo transcorreu com dificuldade. Felizmente, com uma bola espirrada do meio de campo Renato Arrochella chutou de fora da área e fez 1×0 contra o Rio Negro da Argentina. “Sensação de alívio”, confidenciou Arrochella ao marcar o gol da vitória. Para Seixas, esse jogo foi um verdadeiro Brasil x Argentina.

A Seleção TCU também venceu o TCE-AC, o TCDF e o TCE- PI, classificando-se para a final. No último jogo, disputado contra o TCE-RJ, os atletas de Brasília não conseguiram reverter o placar de 0x4 contra os cariocas e conquistaram o 2º lugar. Para Alison Souza, diretor social do Sindilegis e presidente da ASTCU, as partidas foram equilibradas de um modo geral. “A Seleção TCU jogou com garra e obteve um ótimo resultado olímpico”, concluiu. A equipe era formada por Alison Souza, Renato Arrochella, Erismá de Moura, Cláudio Nogueira, Deusmar Augusto de Assis, Francisco Seixas Santos, Guilherme Barbosa Netto, Ivaldo Pereira de Assis, Ivan Rogedo, Jair Francisco Corrêa, José Maria Alves Filho, Lúcio Menezes, Raimundo Nonato Gomes, Reinaldo Monteiro de Lima, Renilson Barboza dos Santos e Sandoval Batista.

Em uma final emocionante, que contou com a presença do Ministro do TCU Augusto Nardes na arquibancada, a equipe de futsal masculino perdeu várias chances de gol.  A disputa, então, foi decidida nos pênaltis, em um placar de 3×2 para o TCE-AM. Regis Machado, Pacote, Forninho, Sacola, Michel Cohen, Marcelo Borges, Caco, Cuca, Yuri Carvalho, Goiano, Rafael Bittencourt e Afonso Vélez trouxeram prata para o TCU.

Com direito à torcida, a equipe de basquete masculino conquistou a medalha de prata contra o La Rioja da Argentina. Em um jogo bastante disputado, regado a lances emocionantes, os atletas de Brasília sofreram diversas faltas, mas perderam chances importantes de converter por lance livre. O time do TCU foi formado por Rommel Brandão, Ivan Rogedo, Oscar César Rocha, Victor Marcuz, Tiago Modesto, Uriel Papa, Paulo Spader, Rodrigo Schafhauser e Bruno Mahe.

Encerramento e balanço da VI Olimpíada

O encerramento dos Jogos Olímpicos dos Tribunais de Contas do Mercosul 2016 aconteceu na Churrascaria Rafain, em Foz do Iguaçu, ao som de variados estilos musicais.  Na ocasião, o Ministro Augusto Nardes dirigiu-se ao palco e, juntamente com medalhistas do TCU, ergueu o troféu de Campeão Geral do evento desportivo. “Aqui não existem donos da competição. Essa olimpíada veio proporcionar uma integração em prol da sociedade”, destacou Nardes.

Demais autoridades presentes no evento: Amauri Perusso (presidente da FENASTC); Conselheiro Ruben Quijano (presidente do Secretariado Permanente dos Tribunais de Contas da Argentina e vice-presidente do Comitê Internacional das Olimpíadas dos Tribunais de Contas do Mercosul – Argentina); conselheiro Wilson Wan-Dall (TCE-SC e presidente do Comitê Internacional das Olimpíadas dos Tribunais de Contas do Mercosul); Evandro Arruda (presidente da ABRTC), Julio Urban (CEO do portal Miceonline); Maury Cequinel (TCE-PR); Fred Vianna (TCE-PR); conselheiro Ivens Linhares (vice-presidente do TCE-PR); Otávio Lessa (presidente do TCE-AL); Luiz Sérgio Madeiro (secretário de Controle Externo da Administração Indireta no Rio de Janeiro do Tribunal de Contas da União);  conselheiro Luciano Nunes Santos (presidente do TCE-PI); Domingos Taufner (conselheiro do Espírito Santo e vice-presidente do Instituto Rui Barbosa); conselheiro Marco Peixoto (presidente do TCE-RS); Ivone Barofaldi (Vice-Prefeita de Foz do Iguaçu); Mounir Chaowiche (diretor-presidente da Sanepar); Érlon Caramuru Tomasi (diretor financeiro da UEGA – Usina Elétrica a Gás de Araucária); Jorge Samek (diretor-geral brasileiro Itaipu Binacional); Cristiano Hotz (diretor de Relações Institucionais da Copel).

Evandro Arruda, presidente da ABRTC, avaliou que o esporte reúne pessoas em prol de objetivos afins, promovendo, assim, a integração entre colegas de trabalho. “Essas olimpíadas têm uma importância ímpar, uma vez que estreitaram os vínculos entre servidores dos Tribunais de Contas do Brasil e da Argentina”, comemorou.

Para o presidente da ASTCU e representante da delegação do TCU, Alison Souza, foi cumprido o objetivo principal do evento de unir parceiros no esporte e na vida. “As olimpíadas nos propiciaram ganhos imensuráveis. Além da brilhante atuação do todos os atletas, independentemente de medalhas, conseguimos integrar ainda mais os colegas do Tribunal e com isso estreitar os laços de amizade no ambiente do trabalho. E também tem a questão da qualidade de vida”, observou. Ele ainda agradeceu a colaboração fundamental do Sindilegis na organização e na confecção dos uniformes dos jogos, bem como o apoio da delegada Simone Barbosa na condução do evento.

“Regressamos ao trabalho leves, felizes e entusiasmados. Houve uma troca de experiência incrível entre os tribunais do Brasil e do Mercosul, o que favoreceu o fortalecimento dos laços de amizade”, afirmou Simone Barbosa. Além disso, ressaltou que eventos desportivos unem pessoas, estimulam a superação de limites, combatem vícios e elevam a autoestima. “A realização de uma olimpíada de tribunais fortalece a Instituição TCU, uma vez que servidores valorizados desempenham de forma mais efetiva suas funções. Sendo assim, o papel do Sindilegis, como um sindicato diferenciado, é prosseguir na luta pela qualidade de vida do servidor por meio do incentivo e da produção de eventos dessa magnitude”, finalizou Barbosa.

Na opinião de Levy Avaloni, coordenador regional do Sindilegis na região Sudeste, esse evento desportivo propiciou, além de entretenimento, um entrosamento ímpar entre os servidores. Avaloni, que participou pela primeira vez de uma Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul, estreou com o pé direito: o TCU sagrou-se campeão da competição.

Regulamento do torneio de Kart 2016

1 – PERÍODO

1.1.      O torneio será realizado no dia 14/5/2016, no Ferrari Kart (autódromo), tendo início às 14h30.

 

2 – INSCRIÇÕES

2.1.      Podem participar do torneio os associados da ASTCU, inclusive seus dependentes, demais colaboradores do TCU (servidores, terceirizados e estagiários) e, eventualmente, outros convidados;

2.2.      As inscrições devem ser feitas até o dia 12/5/2016, pelo e-mail eventos@astcu.org.br.

 

3 – FORMA DE DISPUTA

3.1.      Será disputada uma única bateria de 20 minutos, com até 16 pilotos.

 

4 – PREMIAÇÃO

4.1.      Haverá troféus para o campeão, para o vice-campeão, para o terceiro colocado e para o piloto com a volta mais rápida.

 

5 – VALORES

5.1.      O valor da bateria, a ser previamente transferido para a ASTCU (BB Ag.: 3592-0 C/c: 419000-9; CNPJ: 00.505.867/0001-07), será de R$ 25 para sócios/dependentes e de R$ 65 para não sócios, já incluído o fornecimento de capacete e de macacão pelo estabelecimento;

5.2.      Ademais, é obrigatório o uso de luvas e de balaclava, que podem ser levadas pelo piloto ou adquiridas no local do evento por R$ 10 adicionais.

 

Venha e traga sua família. A emoção é garantida nos eventos da ASTCU!

Vai começar o Forró, Brasília!

DIA 13 DE MAIO – O ESQUENTA DO “ARRAIÁ”  LEGIS, PRÉ- FESTANÇA JUNINA DO SINDILEGIS

 

O “Exquenta” será o aquecimento para uma das maiores festas junina de Brasília, o “Arraiá Legis”. A festança promete! O sócio do Sindilegis e da Ascade tem 50% de desconto na compra do ingresso.

 

Para esquentar os festejos juninos na Capital Federal, o “Exquenta” vai dar o pontapé inicial com muita animação e alegria, ao som do grupo Só Pra Xamegar (SPX) e da dupla sensação da cidade, Wiliam & Marlon, no próximo dia 13 de maio, sexta-feira, a partir das 22h, na Ascade.

 

Com uma ampla bagagem musical no cenário local e nacional, a dupla Wilian & Marlon é referência de sucesso no mercado regional com seu ritmo único que mescla sertanejo com o swing baiano. O grupo SPX- já consagrado em Brasília- faz a festa com seu show envolvente e contagiante, trazendo o melhor do forró e um repertório bem atual para o público presente.

 

Os ingressos antecipados já estão à venda na secretaria do clube Ascade no valor de: R$50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada). O sócio da Ascade e  do Sindilegis, mediante apresentação da carteirinha da instituição, paga meia-entrada. *Cada sócio só pode comprar 1 (um) convite por carteirinha!

Para mais informações: 3226-4503

 

SERVIÇO

O quê: EXQUENTA

Onde: Clube ASCADE, Sede Náutica – Setor de Clubes Sul

Quando: Sexta-feira, 13 de maio, a partir das 22h.

Quanto: R$50,00 (inteira)  e R$ 25,00 (meia-entrada).

Para quem: Para maiores de 16 anos.

Fonte: Ascom Sindilegis

SUPERPROMOÇÃO ASTCU- SORTEIO DE TRÊS CAFETEIRAS

Atenção, associados e demais servidores!

A ASTCU tem uma SUPERPROMOÇÃO imperdível para VOCÊS. Concorram a três cafeteiras Nespresso Inissia.

 

 

Para mais informações, acesse o regulamento em: www.astcu.org.br/promocaoASTCUevoce

 

Contato: 3316- 7184

 

 

Servidora associada elege natação para superar incômodos na coluna e se destaca na modalidade

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Trinta anos atrás, a servidora Patrícia Maria Corrêa (Segecex) decidiu praticar natação para amenizar as dores na coluna. Os resultados foram surpreendentes: elas desapareceram e sua vida ganhou um novo colorido. Apaixonada pela modalidade, a atleta intensificou seus treinos no clube da ASTCU para competir nas Olimpíadas dos Servidores dos Tribunais de Contas do Mercosul, em Foz do Iguaçu(PR), entre os dias 1º e 6 de maio.

 

“Nadar me trouxe benefícios físicos evidentes: aumento da capacidade cardiorrespiratória, tônus muscular, flexibilidade e redução da rinite alérgica. Além disso, trouxe-me amigos e muitas viagens para participar de competições”, confidenciou a servidora.

 

Na ocasião, ela demonstrou entusiasmo com a oportunidade de representar o TCU nas Olimpíadas dos Servidores dos Tribunais de Contas do Mercosul 2016. “Participarei de várias provas de natação. Para isso, venho treinando no clube da ASTCU com mais afinco, disposição e amor”, comemorou.

 

Há dois anos praticando a modalidade no clube da associação, a servidora disse que optou por treinar no espaço devido à proximidade com o TCU. “Isso me permite nadar e voltar ao trabalho sem enfrentar trânsito e sem perder muito tempo”, declarou.  Além disso, salientou que as instalações para a prática de natação são satisfatórias e que a piscina oferece condições favoráveis de utilização. “A piscina é bem cuidada e o treino, motivador. Minhas demandas estão sendo supridas”, avaliou.

Outro aluno da ASTCU que tem se destacado nas piscinas é o atleta Ícaro Ludgero. Com apenas 19 anos, ele foi convocado pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos(CBDA) para representar o Brasil no XLIII Campeonato Sul-Americano Absoluto de Natação, ficando  em 3º lugar nos 200 metros medley.

 

O clube

O espaço conta com uma equipe de professores qualificados para exercícios em piscina semiolímpica, aquecida e iluminada. Modalidades aquáticas ofertadas: natação, deep running e hidroginástica. Os serviços oferecidos incluem todo o quadro de servidores, mas associados contam com descontos especiais. Informações com Carlos Simpson pelo telefone: 8117-1627.

 

 

Benefícios da Natação

A natação propicia inúmeros benefícios àqueles que a praticam como, por exemplo, melhoria da capacidade circulatória e respiratória, aumento da flexibilidade e da resistência, controle dos níveis de colesterol e de açúcar no sangue, além de sensação de bem-estar,  prevenção contra o envelhecimento precoce e diminuição da perda de massa muscular ao longo do tempo.

Projeto musical da ASTCU brinda servidores com canções eternizadas por gerações

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Na tarde da última terça-feira (23), os servidores tiveram a oportunidade de assistir ao aprazível show de Luciana Amaral em parceria com Ulisses Cândido, apresentado no formato voz e violão no restaurante do TCU. Durante uma hora, o público se deleitou com canções de estrelas da música. No setlistStand by Me, de Ben E. King; Hotel California, da banda Eagles; Knockin’ on Heaven’s Doorsingle de Bob Dylan; Every Breath you Take, da banda inglesa The Police; Emotions, do Bee Gees; e Sunday Morning, da Maroon Five. Já da década de 1980, interpretações como Human Nature, de Michael Jackson; The Logical Song, do grupo Supertramp; e Tears in Heaven, de Eric Clapton. Músicas nacionais também integraram esse seleto repertório: À Primeira Vista, de Chico César; e Malandragem, de Cássia Eller. Para fechar, um medley com Amor que não sai, Vamos fugir, A novidade, Woman no Cry e I’m yours.

 

 

 

A ação integra uma parceria firmada entre a ASTCU e a Escola de Música Espaço Sonoro, consolidada no mercado brasiliense há 23 anos. O intuito é oferecer música de qualidade aos servidores e familiares.

 

               Presente no evento, a proprietária da Escola, professora Nivea Carneiro, avaliou que o TCU é receptivo à música. “Encontramos liberdade para executar a arte musical aqui no tribunal e verificamos idades diversas representadas. A música propicia essa inclusão”, ressaltou. Durante a apresentação, ela teve um descontraído bate-papo com os servidores Darliton Dourado e Marcelo Borges e revelou que ambos possuem um vínculo com a Espaço Sonoro. O filho de Dourado, Victor, hoje com oito anos, frequenta as aulas de bateria da escola desde os quatro. Já Borges, pratica aula de canto no espaço há cinco anos.

 

 

“Estou muito satisfeito em poder proporcionar aos meus colegas de trabalho este momento agradável, em que eles podem se servir de boa música, de cultura”, declarou o presidente da ASTCU, Alison Souza.

 

 

No dia 1º de março, a Escola de Música do clube da  ASTCU disponibilizará  cursos de violão, de violino, de canto, de coral,de musicalização infantil e de desenho.  Matricule-se pelo site: www.espacosonoro.com.br ou entre em contato com a professora Nívea ou com o professor Felippe pelos telefones: 8207-7896/ 8225-3847/3222-0113. A partir de um ano de idade, todas as faixas etárias serão contempladas.  Associados contam com desconto de 20% sobre o valor praticado.

 

 

 

Breve trajetória dos músicos

 

Luciana estudou noções de violão clássico na Escola de Música de Brasília, fez aulas de canto na Escola Espaço Sonoro e integrou os coraisLux Animae – do Espaço Cultural Alexandre Innecco (ECAI) – e Alegria, do músico e poeta Nestor Kirjner. Ainda realiza shows em sofisticados restaurantes da capital federal.

Atualmente Luciana é aluna da renomada cantora e compositora Márcia Tauil, com quem está se especializando na técnica Mix Voice, a mesma utilizada por grandes artistas, como Barbra Streisand, Stevie Wonder e Josh Groban. Também já participou de festivais de música católica.

 

Com extensa atividade musical, Ulisses Cândido participou de festivais de música, de espetáculos, de concertos,de recitais,de trilhas sonoras e de filmes e shows. Cursou Música e Licenciatura na UnB. Também cursou violão erudito e estudou teoria, solfejo e harmonia. Atua como professor de música na Escola Espaço Sonoro e em shows, workshops, arranjos e gravações.

Um tributo à boa música

Associados e demais servidores da Casa poderão apreciar, a partir das 12 horas desta terça-feira(23), no restaurante  do TCU, show da cantora Luciana Amaral, em parceria com o violonista Ulisses Cândido, em formato voz e violão. A iniciativa é um acordo entre a ASTCU e a Escola de Música Espaço Sonoro, com atuação consolidada de 23 anos no mercado brasiliense.

Canções que ficaram eternizadas por gerações e continuam a conquistar fãs estarão no repertório do show. A intérprete fará releitura de grandes hits nacionais e internacionais.

No setlist, canções como Stand by Me, de Ben E. King; Hotel California, da banda Eagles; e Knockin’ on Heaven’s Doorsingle de Bob Dylan. Já da década de 1980, estão verdadeiras pérolas da música pop, como Human Nature, de Michael Jackson; The Logical Song, do grupo Supertramp; eTears in Heaven, de Eric Clapton. Músicas nacionais também integram esse seleto repertório: À Primeira Vista, de Chico César; Coleção, de Cassiano; e Amor que não sai, composição de Gigi e Dan Kambaiah, gravada por Ivete Sangalo.

Breve trajetória

Luciana estudou noções de violão clássico na Escola de Música de Brasília, fez aulas de canto na Escola Espaço Sonoro e integrou os coraisLux Animae – do Espaço Cultural Alexandre Innecco (ECAI) – e Alegria, do músico e poeta Nestor Kirjner. Ainda realiza shows em  restaurantes da capital federal.

Atualmente Luciana é aluna da renomada cantora e compositora Márcia Tauil, com quem está se especializando na técnica Mix Voice, a mesma utilizada por grandes artistas, como Barbra Streisand, Stevie Wonder e Josh Groban. Também já participou de festivais de música católica.

Com extensa atividade musical, Ulisses Cândido participou de festivais de música, de espetáculos, de concertos,de recitais,de trilhas sonoras e de filmes e shows. Cursou Música e Licenciatura na UnB. Também cursou violão erudito e estudou teoria, solfejo e harmonia. Atua como professor de música na Escola Espaço Sonoro e em shows, workshops, arranjos e gravações.

Clube da ASTCU sedia 1º torneio de tênis 2016 e revela talento de atletas associados

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

 

O clube da ASTCU encerrou neste mês o 1º torneio de tênis San Marino Open deste ano, organizado pelo jogador da categoria juvenil, Lucas Meneguim. O campeonato-aberto ao público em geral- contou com a participação de 160 atletas de faixas etárias variadas, nas categorias simples e duplas (incluindo mistas).  O objetivo do evento foi o incentivo à prática do esporte na capital federal, bem como o entrosamento entre os atletas. Campeões e vice-campeões da 1ª classe receberam premiação em dinheiro, além de um vale-rodízio do patrocinador.

 

 

Dois dos professores de tênis da ASTCU fizeram bonito. Pedro Ratinho sagrou-se campeão da 1ª classe, categoria simples/masculino. Já Henrique Santos e sua parceira  Raquel Piraciaba foram os vencedores da 1ª classe, categoria dupla/mista. O servidor e sócio Marcelo Klimkievicz e Maria Ornete garantiram o vice-campeonato na 1ª classe, categoria dupla/mista. Os servidores Fernando Masera e Paulo Morum chegaram às semifinais da 3ª classe, categoria dupla/masculina. Júlia Moraes, de apenas 13 anos, destacou-se na competição. Ela conquistou o vice-campeonato da 1ª classe, na categoria simples/feminina, e agora se prepara para enfrentar seu primeiro torneio internacional. Entusiasmados, os jogadores já aguardam o próximo campeonato.

 

 

O servidor Ítalo Pinheiro, que treina no clube, frisou que a ASTCU sediou um campeonato de tênis porque oferece condições para a realização de um evento desse porte. Ele disse estar satisfeito com a qualidade das quadras e dos professores. “Sou sócio sobretudo em razão do tênis. Vale a pena se associar, uma vez que a relação entre custo e benefício também é um fator positivo.” No entanto, o auditor sugeriu investimentos no aumento do número de quadras e na quantidade de bolas ofertadas.

 

O praticante do esporte e sócio Carlos Araújo, servidor que atua no gabinete no ministro Augusto Nardes, considerou oportuna a iniciativa da ASTCU em promover o torneio. “Essa é uma oportunidade que os servidores do TCU têm de trocar experiências, de confraternizar e de praticar um esporte. Há vários colegas do tribunal que jogam tênis aqui, e minha esposa também se apaixonou pela modalidade”, comentou. E emendou dizendo que o presidente Alison Souza tem realizado um trabalho surpreendente. “É visível a melhora na estrutura do clube. Isso reflete na frequência de pessoas no espaço”, pontuou.

 

Questionado sobre os motivos que o levaram a optar pelo clube da ASTCU, Meneguim- que irá jogar um torneio no exterior- citou a quantidade e a qualidade das quadras, o investimento da associação no tênis e a localização privilegiada do clube.

 

“Estou satisfeito com a realização do campeonato no nosso clube. Isso é uma demonstração clara de que temos todas as condições para sediar um evento dessa importância. Agradeço aos sócios e a todos da organização, parabenizando os vencedores. E Brasília precisa mesmo investir mais no tênis”, declarou o presidente Alison Souza.

 

Patrocinaram o evento as empresas San Marino e Prooffices.

PREENCHA COM MÚSICA O REPERTÓRIO DE SUA VIDA

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Atenção, sócios e demais servidores!

Venham participar dos cursos de violão, de violino, de canto coral e de musicalização oferecidos pela Escola de Música do clube da associação. Início da aulas: 15 de fevereiro.

O projeto é uma parceria da ASTCU com a academia de música Espaço Sonoro, com atuação de 23 anos no mercado.

                                            Associados possuem desconto de 20% sobre o valor praticado.

A ação conta com música de qualidade e profissionais especializados na área proposta, formados pela UnB, pela Escola de Música de Brasília e também no exterior. Preencha com música o repertório de sua vida.

MATRÍCULAS PELO SITE: www.espacosonoro.com.br. CLICAR EM: Unidade II/ASTCU. PARTICIPEM!

Nos pênaltis, e sob forte chuva, Bell sagra-se campeão do II Torneio de Futebol de Campo Livre ASTCU 2015

 

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury – com colaboração de Regis Machado)

 

Na manhã do último domingo (13), Bell e Butantã disputaram as tão esperadas finais do II Torneio de Futebol de Campo Livre 2015, encerrando o calendário esportivo da associação. Em virtude das reformas no clube da ASTCU, os jogos foram realizados no campo da Assefe, gentilmente cedido à associação parceira. Esse torneio contou com a participação de oito equipes (ASTCU, Bell, Boêmios, Butantã, Napoli, Paranauê, PPFC e Sports). Todas jogaram entre si, sendo que, ao final dessa primeira fase, as quatro primeiras colocadas disputaram a chamada Taça de Ouro e as outras quatro brigaram pela Taça de Prata.

 

A final, valendo a Taça de Ouro, foi marcada por muita catimba, provocações e uma sucessão de faltas e de boas jogadas dos dois lados, porém sem balançar as redes. Apesar de ter terminado a primeira fase mais bem classificado, o Bell teve bastante trabalho na final. A equipe Butantã dominou o segundo tempo, chegando mesmo a perder um pênalti. Nos últimos segundos, o time Butantã ainda arriscou um chute de longe, percebendo o goleiro do Bell adiantado, mas este fez uma belíssima defesa, segurando o placar em 0 a 0 e levando a partida para os pênaltis.

 

Sob o olhar atento dos torcedores e intensa chuva, alternaram-se as cobranças, com ambas as equipes acertando ou errando a meta. A cada bola defendida, intensificavam-se os gritos e os aplausos aos goleiros. Por três vezes, a equipe Bell teve a chance da vitória nos pés, bastando converter o pênalti para levar o título, mas desperdiçava as oportunidades. Até que, lá pela décima quarta cobrança, jogadores e goleiros já exaustos, Michel Rocha não perdoou mais um deslize do adversário e garantiu o caneco para o Bell.

 

“Até aqui, estávamos jogando com tranquilidade, mas a final surpreendeu, foi mais difícil. O importante, porém, é que chegamos ao título. É mais uma vitória para o meu currículo”, destacou o servidor Sandoval Batista, técnico do Bell. Para ele, o foco agora é preparar a Seleção TCU para as Olimpíadas dos Tribunais de Contas do Mercosul. “Espero que a equipe traga medalha”, finalizou.

 

Organizador do Bell, o servidor Marcelo Borges manifestou enorme satisfação com o empenho do time e com a garra demonstrada para vencer o campeonato, decidido em uma sofrida disputa de pênaltis.

 

Para Vinicius Vasconcelos, capitão do Butantã, durante o torneio as equipes jogaram de igual para igual e os jogadores mostraram lealdade, sem entradas maldosas. “Foi emocionante jogar esta partida, mas hoje parabenizo o Bell pelo seu desempenho”, destacou sobre a final.

 

Taça de Prata

A disputa da Taça de Prata ficou entre as equipes Sports e Paranauê. O jogo foi muito equilibrado, com lances que poderiam resultar em gol acontecendo o tempo todo, mas sempre parando nas mãos dos goleiros. No entanto, aos 31 minutos do segundo tempo, o atacante do Sports abriu o placar com um chute indefensável da entrada da área, pelo lado direito. Os atletas do Paranauê não se entregaram e buscaram o empate até o final da partida, mas sem sucesso.

 

Para Rafael Salomão, autor do gol do título, o jogo foi difícil, decidido no detalhe. “O campeonato foi muito bom, gostei de participar”, acrescentou. Gabriel Lustosa, da equipe Paranauê, concordou: “O campeonato foi ótimo, bastante disputado. No próximo semestre, jogaremos novamente, com certeza”.

 

Após a entrega das medalhas e dos troféus às equipes, houve uma grande confraternização de encerramento no clube da ASTCU, com um aprazível churrasco animado pela banda Samb’Amigos. “Estou muito feliz com o resultado desse torneio. Foi disciplinado, organizado e contou com o comprometimento dos participantes o tempo todo. Todos jogaram com raça e com garra. O torneio cumpriu seu objetivo e propiciou um saudável entrosamento entre os atletas. É isso o que a ASTCU espera ao realizar esses eventos”, finalizou Regis Machado, Diretor de Esportes da associação.

 

Todos os semestres, a ASTCU organiza torneios de futebol, tanto da categoria master quanto da categoria adulto (livre). Essas competições já se tornaram tradição em Brasília, sendo que o número de equipes interessadas em participar aumenta a cada edição.