Vem aí a festa do Dia das Crianças da ASTCU em parceria com o Sindilegis, a Auditar e a Asap

Atenção, associados e demais servidores!

A ASTCU, em parceria com a Auditar, o Sindilegis e a Asap, convida todos vocês e suas respectivas famílias para comemorarem o Dia da Crianças no dia 12 de outubro, das 10h às 17h, no clube da ASTCU (SCES, trecho 2, lote 45).

Para alegrar a criançada, a festa promovida pelas entidades vai contar com as seguintes atrações: piscina de bolinhas,cama elástica, touro inflável, futebol de sabão, animador infantil, balão mania (balão em formato de bichinhos), brinquedoteca e tobogã.

 No cardápio, comidinhas deliciosas como: espetinho de carne ou de frango, refrigerante, algodão-doce, pipoca e kit confeitos. Para que as crianças tenham acesso às guloseimas,tickets serão distribuídos na entrada do clube.

Venham e tragam as famílias. A diversão é garantida!

Favor confirmar presença pelo e-mail: eventos@astcu.org.br

Informações: 3316-7184 / 7321

Regulamentos das modalidades esportivas e serviços oferecidos pela ASTCU

REGULAMENTO DE USO DAS QUADRAS DE TÊNIS DA ASTCU

 

DOS USUÁRIOS DAS QUADRAS

Artigo 1º – As quadras de tênis poderão ser utilizadas pelos associados do clube, professores de tênis no exercício das aulas com seus alunos, desde que observados os termos do contrato de locação com o clube, além dos convidados acompanhados de pelo menos um sócio.

Artigo 2º – A utilização das quadras por professores e alunos, mesmo que estes sejam associados, estará restrita às três quadras específicas reservadas pela Administração para uso nos dias úteis.

  • 1º – Nos dias úteis, o uso das quadras específicas para aulas é de prioridade dos professores com seus alunos, observados os limites do contrato de locação, em especial a quantidade de horas pré-fixadas.
  • 2º – Excepcionalmente, em caso de escassez de quadras devido às chuvas ou outros motivos imprevistos, outras quadras poderão ser utilizadas para aulas, desde que a Diretoria Esportiva seja previamente comunicada sobre o fato.
  • 3º – É vedada a utilização das quadras para realização de aulas aos sábados, domingos e feriados, exceto em casos em que o feriado ocorra em dias de semana, a saber: segundas, terças, quartas, quintas e sextas.

DOS HORÁRIOS DE UTILIZAÇÃO DAS QUADRAS

Artigo 3º – As quadras poderão ser utilizadas no período de 7h as 22h, nos dias úteis, e no período de 7h as 18h nos fins de semana e feriados regulares, observado o disposto no art. 2º, § 3º.

  • Único – A critério da Administração, os horários de utilização poderão ser flexibilizados.

DO TEMPO DE OCUPAÇÃO

Artigo 4º – Em partidas de simples, o período máximo de uso é de 60 minutos.

  • Único – Isso também se aplica em casos de mais de duas pessoas compartilhando a quadra para partidas de simples.

Artigo 5º – Em partidas de duplas, o período máximo de uso é de 90 minutos.

  • Único – Isso também se aplica em casos de mais de quatro pessoas compartilhando a quadra para partidas de duplas.

Artigo 6º – Em partidas de barragem, o período de duração estará sujeito às regras estabelecidas no Artigo 20.

Artigo 7º – A ocupação de quadras para treinos particulares, independentemente do número de pessoas, segue as regras do Artigo 4º, como se fosse partida de simples.

Artigo 8º – A renovação de uso da quadra só é permitida quando não houver parceiros habilitados na fila de espera.

  • Único – Não é permitida a renovação de uso da quadra antes de expirado o tempo regulamentar em andamento.

DO CONTROLE DE OCUPAÇÃO

Artigo 9º – O controle de ocupação das quadras e da fila de espera será feito mediante a colocação da carteira social no quadro de controle.

  • Único – Excepcionalmente, quando sabidamente o portador seja sócio, na falta da carteira social, poderá ser aceito outro documento oficial de identificação.

Artigo 10º – A ocupação de quadras para aula deverá ser identificada por um cartão identificador de Aula ou o contrato de prestação de serviço do professor.

Artigo 11º – A ocupação de quadras para Barragem deverá ser identificada por um cartão identificador da Barragem.

Artigo 12º – O primeiro tenista da fila de espera terá o direito de uso da próxima quadra vaga, tornando-se o tenista da vez.

  • 1º – Se o adversário não estiver presente quando houver liberação de quadra, o tenista da vez cederá obrigatoriamente o direito ao próximo da fila, mantendo-se em primeiro na fila.
  • 2º – A seu critério, o tenista da vez poderá ceder o direito adquirido de uso da quadra ao próximo da fila, mantendo-se em primeiro na fila.

Artigo 13º – É vedado reservar lugar na fila de espera para uso de terceiros.

Artigo 14º – É vedada a ocupação individual de quadra para recreação ou treinamento – por exemplo, treino de saque -, exceto nos períodos em que não houver concorrência para uso das quadras.

Artigo 15º – As anotações de horário no quadro de controle serão feitas pelos próprios usuários, observadas as regras de convívio pacífico nas dependências do clube.

  • 1º – Os horários deverão se basear no relógio do associado da vez.
  • 2º – A falta de anotação no quadro de controle implica perda imediata de uso da quadra se reivindicada por alguém com direito de uso.

Artigo 16º – Os próprios tenistas se encarregarão de avisar o término do tempo aos ocupantes da quadra.

  • 1º – Após o aviso, opcionalmente, os ocupantes terão um tempo adicional para encerrar o game em andamento, que não poderá ultrapassar cinco minutos.
  • 2º – A contagem do tempo para os novos ocupantes só começará após o término da arrumação da quadra pelo assistente de quadra, quando for o caso.

DA ILUMINAÇÃO

Artigo 17º – A iluminação de qualquer quadra no período noturno é gratuita, porém não definitiva, de modo que o clube se reserva o direito de cobrar a iluminação em caso de conveniência administrativa.

DA BARRAGEM

Artigo 18º – A ocupação de quadra para partidas de barragem ASTCU estará sujeita à fila de espera normal.

Artigo 19º – As partidas oficiais de barragem ASTCU poderão ocupar todas as quadras nos sábados, domingos e feriados, exceto nos dias úteis, cuja limitação é de duas quadras para esse fim.

  • 1º – Outras partidas de barragem ASTCU, além das oficiais, poderão ser realizadas, porém sujeitas às regras normais de ocupação de quadras, conforme o Artigo 4º.
  • 2º – Uma partida não oficial de barragem ASTCU poderá ser transformada em oficial se, expirado o prazo regulamentar, não houver tenistas habilitados na fila de espera.

Artigo 20º – O período de uso de quadra para partidas oficiais de barragem estará limitado ao tempo de duração das partidas.

  • Único – Após o término da partida de barragem, os competidores deverão liberar a quadra, sujeitando-se às regras gerais de ocupação de quadras.

Artigo 21º – As partidas de barragem serão realizadas conforme as regras estabelecidas no Regulamento da Barragem.

DOS TORNEIOS

Artigo 22º – As quadras poderão, com autorização prévia e expressa da Administração do clube, e após consulta à Diretoria Esportiva da ASTCU, ser reservadas para torneios, mantendo-se um mínimo de duas quadras para utilização normal dos associados.

  • Único – A realização desses eventos deverá ser previamente divulgada aos associados praticantes de tênis.

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 23º – As quadras só poderão ser utilizadas para a prática de tênis.

Artigo 24 – Os praticantes deverão estar devidamente uniformizados com calçados e roupas específicos para a prática do tênis, sob pena de não pode entrar em quadra o associado ou convidado que não estiver com material próprio para prática do tênis.

Artigo 25 – Os praticantes deverão manter o silêncio e o respeito necessários para a prática do tênis, inclusive quanto ao uso de celulares durante as partidas.

Artigo 26 – O cumprimento deste regulamento será controlado, em primeira instância, pelos assistentes de quadra e, em segunda instância, pela Diretoria Esportiva da ASTCU.

  • 1º – Em caso de impasse, os assistentes de quadra farão a devida notificação à Administração do clube.

Artigo 27 – Os casos omissos e eventuais sanções por desrespeito a este Regulamento serão resolvidos pela Administração do clube, juntamente com a Diretoria Esportiva.

Gestão da ASTCU eleita para o biênio 2016/2018 toma posse

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

No dia 15 de julho, os membros da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal eleitos para gerir a ASTCU no biênio 2016/2018 tomaram posse no auditório Arnaldo Prieto. A solenidade foi conduzida pelo servidor Astrogildo Franco, Especialista em Cerimonial e Protocolo, e contou com a participação de dirigentes de entidades representativas, de associados e demais servidores.

Integraram a Mesa Diretiva da cerimônia de posse o então presidente da ASTCU, Alison Souza, o presidente eleito, Regis Machado, o vice-presidente Executivo do Sindilegis para o Senado Federal e presidente da Associação dos Servidores do Senado Federal (Assefe), Petrus Elesbão, o vice-presidente Executivo do Sindilegis para o TCU, Eduardo Dodd, e o diretor parlamentar e jurídico da Auditar, Dario Corsatto.

A solenidade foi aberta com a leitura do termo de posse pela atual presidente do Conselho Fiscal, Anabe Lopes. Na sequência, Alison Souza empossou o presidente eleito, Regis Machado, e iniciou seu pronunciamento enfatizando que foi uma honra presidir a ASTCU ao longo de quatro anos junto aos diretores. Também destacou as principais medidas adotadas em sua gestão: reforma nas instalações do clube, aumento considerável na quantidade de serviços oferecidos aos associados e, sobretudo, capacidade de empreender em um cenário adverso. “A associação saiu de um estado em que não estava mais conseguindo realizar. Hoje, temos ioga, beach tennis, escolinha de futebol, cinco quadras de tênis e duas academias, sendo uma nas dependências do tribunal e outra, de crossfit, no clube”, comemorou. Ele ainda salientou a importância de as associações terem se empenhado para unir forças. “Essa integração gerou resultados surpreendentes”, frisou, agradecendo o apoio do Sindilegis, da Auditar e dos associados durante seus dois mandatos.

Ao fazer uso da palavra, Regis Machado enalteceu a atuação do ex-presidente Alison Souza. “Nos últimos quatro anos, o Alison construiu uma união sólida entre as entidades. Ele é o grande responsável por essa sinergia”, reconheceu. Em seguida, Machado ratificou o compromisso da atual gestão de dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela ASTCU. “Vamos seguir com o projeto de renovação das estruturas do clube e de oferta de mais serviços aos sócios”, ressaltou.

Ele também anunciou a formalização de um convênio com a Assefe para que os associados da ASTCU utilizem a creche do Senado Federal, referência em Brasília. “Eu e o presidente Petrus Elesbão estamos finalizando conversas para oficializar essa parceria”, informou. Além disso, falou sobre o intuito de realizar pesquisas que irão apontar as demandas dos sócios em relação às atividades oferecidas pela associação. Para finalizar, agradeceu aos dirigentes presentes, além de Weranice Brasil, presidente da UNA-TCU, e de Evaldo Rocha, presidente da Asap.

Petrus Elesbão salientou que a melhor alternativa é sempre a união e a integração. “Vamos nos unir para que, em um futuro não tão distante, tudo o que aconteça no Senado seja estendido ao TCU e à Câmara dos Deputados. Não será fácil, haverá divergências, mas a meta deve ser mais importante do que as vaidades”, frisou. Ele ainda desejou sorte e serenidade à nova diretoria e disse que a obtenção de resultados favoráveis está atrelada à perseverança.
“O que faz um país ser grande não é a sua economia, mas as pessoas que o compõem”, ressaltou Dario Corsatto. Representando a Auditar, ele destacou que o Brasil está passando por um resgate ético proveniente da sociedade civil. “É a grande teia de associações e entidades que, ao ficar de olho em tudo o que está acontecendo, tem obtido avanços”, ponderou. Segundo Corsatto, é importante participar do trabalho sindical e classista, pois é dessa forma que se transforma um país. Como exemplo, citou o significativo aumento concedido ao TCU neste mês, fruto da união entre as associações, em um trabalho uníssono e desprovido de vaidades.

Para finalizar, parabenizou a nova diretoria por tomar conta de um patrimônio que é do servidor e disse que nada resiste ao empenho contínuo na construção de novas realidades. E fez um convite aos presentes: “O clube melhorou de forma expressiva, está mais bonito e com um maior número de serviços agregados. Venham visitá-lo”.
Ao fazer uso da palavra, Eduardo Dodd agradeceu a oportunidade de participar da cerimônia de posse representando o Sindilegis. “Tenho um apreço pela ASTCU. Nosso trabalho aqui no tribunal é duro, difícil e de muita responsabilidade. A associação nos proporciona leveza e o clube, localizado em uma área privilegiada, nos disponibiliza ótimas atividades de lazer”, avaliou.
Posteriormente, parabenizou a gestão do então presidente Alison Souza, desejou sucesso ao presidente Regis Machado e falou da satisfação em participar da cerimônia de posse com outras entidades. “A gente tem falado muito sobre união, e não há nada que prejudique mais uma instituição do que a falta de consenso e de diálogo. O sindicato e a Auditar vão continuar ajudando a ASTCU, pois unidos todos ganhamos e as coisas avançam”, arrematou.

Placas de homenagem

A ASTCU rendeu justa homenagem ao presidente Alison Souza por sua significativa atuação à frente da associação durante as gestões 2012/2014 e 2014/2016, bem como ao servidor recentemente aposentado, Milson Nascimento, por seu destacado desempenho como presidente da associação entre 1988 e 1990 – empenhando-se na obtenção do terreno onde foi edificada a sede social do clube – e por cumprir com excelência a missão de zelar pelo bem público. “Para mim, é motivo de muito orgulho receber essa placa de homenagem pelos serviços prestados à associação. Quero estender esse reconhecimento aos membros que compuseram a diretoria no biênio 1988/1990: Antônio Pedro da Rocha, Nazareno Vasconcelos, Rosana Rossi, Afonso Velez, Gilmar Gomes Lira e demais.” Ele também parabenizou a nova gestão, enaltecendo a capacidade empreendedora do presidente Regis Machado.

Composição da nova diretoria

Presidente: Regis Soares Machado; 1º vice-presidente: Alison Souza; 2º vice-presidente: Renato Arrochella; Diretor administrativo e financeiro: Alberto Leite Câmara; 1º diretor-tesoureiro: Delvan Ferreira; 2º diretor-tesoureiro: Afonso Velez da Silva; 1º diretor-secretário: Wilson Moreno dos Santos; 2º diretor-secretário: Ernesto Vasconcelos Carvalho.

Suplentes da Diretoria Executiva: Ítalo Pinheiro Figueiredo, Milton Batista Júnior, Dario Fava Corsatto, Sandoval Batista da Silva e Getúlio Martins Padilha.

Conselho Fiscal: Anabe Lopes da Silva (Presidente), João Correa da Silva, Manoel Celestino, Ivaldo Pereira de Assis e Abel Rodrigues da Silva; Suplentes: Álvaro Pereira da Silva, Marcos Jansen Pereira e Hiram Alves de Lima.

Sulamérica – Pacote de vantagens!

Agora, nossos associados e dependentes têm vantagens e facilidades na contratação de seguros de automóvel, de vida, residenciais e previdência Educaprev, além da opção de contratação apenas da Assistência 24h, conforme principais diferenciais e custos abaixo:

– Pagamento em até 12 X SEM JUROS;
– Desconto comercial de até 15%;
– Manutenção/aceitação do bônus na renovação;
– Extensão dos benefícios a pais, cônjuge e filhos;
– Isenção do pagamento da 1° franquia no seguro auto mulher (*);
– Cobertura para furto de estepe (*);
– Motorista amigo com acionamentos extras (*);
– Serviço de reparo de arranhões (*);
– Cobertura completa para vidros, faróis, lanternas e retrovisores (*).

(*) Aceitação, custos, condições de pagamento, regras e limites de cobertura/utilização dos diferenciais acima estão sujeitos às regras e condições gerais de cada seguradora parceira.

 

Custos (somente Assistência 24h – SulAmérica):

– Automóvel (plano 12 meses): 12 x R$ 15,90;
– Automóvel (plano 6 meses): 6 x R$ 19,90.

 

Peça uma cotação preenchendo o formulário pelo site: http://www.sulamericapacotedevantagem.com.br/leads/astcu

Esclarecimentos sobre a eleição da nova diretoria da ASTCU

Ontem(28), no auditório Arnaldo Prieto, ocorreu a eleição que legitimou a nova diretoria da ASTCU.

O pleito, que contempla o biênio 2016/2018, foi realizado em chapa única, denominada União. O nome faz alusão a um consenso firmado entre associados com o intuito de reunir esforços em prol da associação.

Para o Conselho Fiscal, constituído por 5 membros titulares e 3 suplentes, a ordem de votação dos titulares é a seguinte:

– Anabe Lopes;
– João Correa da Silva;
– Manoel Celestino;
– Ivaldo Pereira;
– Abel Rodrigues.

Composição da nova diretoria

Presidente, Regis Soares Machado; 1º vice-presidente, Alison Souza; 2º vice-presidente, Renato Arrochella; diretor administrativo e financeiro, Alberto Leite Câmara; 1º diretor- tesoureiro, Delvan Ferreira; 2º diretor-tesoureiro, Afonso Velez da Silva; 1º diretor- secretário, Wilson Moreno dos Santos; 2º diretor-secretário, Ernesto Vasconcelos Carvalho.

Suplentes/diretoria-executiva: Ítalo Pinheiro Figueiredo, Milton Batista Júnior, Dario Fava Corsatto, Sandoval Batista da Silva e Getúlio Martins Padilha.

Conselho Fiscal: Álvaro Pereira da Silva, Marcos Jansen Pereira, Anabe Lopes da Silva, Manoel Celestino, Ivaldo Pereira de Assis, João Correa da Silva, Abel Rodrigues da Silva e Hiram Alves de Lima.

O presidente Regis Machado agradece aos associados, dando continuidade às ações que visam a melhoria do clube da ASTCU.

Sindilegis traz para Brasília poetas do repente nordestino

Na Noite do Cantador, Geraldo Amancio e Moacir Laurentino são os convidados ilustres do evento gratuito que acontece nesta quinta-feira.

O Sindilegis tem o prazer de lhes fazer um convite/

E quem gosta do repente com certeza vai aceitar/

Numa noite de cantador, todos vão se arrepiar/

Com o repente que Geraldo e Laurentino vão cantar.

Na noite desta quinta-feira (23), às 20h, acontece a Noite do Cantador no Centro de Atividades Sociais do Sindilegis (CAS), como parte das festividades juninas. Vindos diretamente do Nordeste, os famosos repentistas Geraldo Amancio e Moacir Laurentino, que há 40 anos encantam as plateias do Brasil com eletrizantes repentes, trazem para a capital federal o talento que conquistou inúmeros prêmios em festivais, além da venda de álbuns.

O evento de realização do Sindilegis e apoio do Espaço Musical Roberto Baez é gratuito para o público. Segundo o organizador do evento e coordenador setorial de aposentados e pensionistas do Sindilegis no Senado Federal, Nonato Freitas, a ideia desde o princípio é promover a cultura. “Nós fizemos questão de que fosse um evento divulgado e gratuito, para que todos pudessem comparecer e ver de perto esses dois gênios do repente que, generosamente, aceitaram o nosso convite. É um evento para não ser esquecido”, afirma.

O Centro de Atividades Sociais fica na 610 Sul (antiga Ascade na L2 Sul), em Brasília, e o show terá uma introdução inicial com a história do repente para, em seguida, apresentar os artistas. Para mais informações, entre em contato: (61) 3214-7300.

Os poetas do nordeste

Geraldo Amancio tornou-se referência no meio do repente sendo um dos mais laureados e respeitados, tendo um público imenso fã da sua cantoria. Apresentador de programas televisivos em Fortaleza (CE), atualmente está à frente do “A Sanfona e a Viola”. Pertence à Academia Brasileira do Cordel. Sendo membro também da “Casa do Cantador”, em Fortaleza, que possui mais de 50 anos de existência.

Nos últimos anos, ministrou palestras para diversas Universidades e Academias de letras dos Estados, assim como em colégios dos interiores mais distantes. Entre essas palestras, uma das mais marcantes foi em Coimbra, Portugal. Participante de vários Festivais de Repentistas,possui mais de 150 troféus de primeiro lugar.

Já o repentista Moacir Laurentino traz o talento no sangue. Filho do poeta Avelino Laurentino da Silva, é da família do poeta Belarmino de França e canta desde junho de 1963, mas profissionalmente a partir de 1966, e já dividiu o palco com Geraldo por diversas oportunidades.

Serviço

O quê: Noite do Cantador

Quando: 23 de junho (quinta-feira), às 20h

Onde: Centro de Atividades Sociais do Sindilegis – 610 Sul

Quanto: Entrada Gratuita

Mais informações: (61) 3214-7300

Fonte: Luísa Dantas, Ascom Sindilegis

TCU sagra-se campeão do 1º Torneio Integração de Tênis TCU x TST e TRT10, realizado no clube da ASTCU

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Na tarde do último sábado(11), no clube da ASTCU, o TCU venceu o 1º Torneio Integração de Tênis TCU x TST e TRT10 por um placar de 7×6. A iniciativa contempla a parceria estabelecida entre a Associação dos Servidores do Tribunal de Contas da União (ASTCU), a Associação dos Servidores do Tribunal Superior do Trabalho (Astrisutra), a Associação dos Servidores do TRT da Décima Região (ASDR) e o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e Tribunal de Contas da União (Sindilegis).

 

O evento contou com a presença do ministro do TCU, Augusto Nardes, dos ministros do TST Renato Lacerda e Augusto César de Carvalho e de 40 servidores. Na ocasião, a Astrisutra disponibilizou uma mesa com frutas e quitandas, além de massagista para os atletas. Vale ressaltar que os troféus, de campeão e de vice-campeão, renderam homenagem ao ministro Augusto Nardes.

 

De acordo com o servidor Marcelo Klimkievicz, um dos organizadores do torneio, o objetivo do campeonato foi promover a integração e o congraçamento, bem como contribuir para a melhoria da qualidade de vida no ambiente de trabalho.  “Foi uma manhã muito agradável, de jogos bastante equilibrados de equipe contra equipe, sendo que cada partida contou para a pontuação final”, explicou. Além disso, frisou a importância de ter o clube frequentado, cada vez mais, pelos próprios servidores. “Isso é fruto dos avanços alcançados pelo clube da ASTCU”.

 

 

O ministro Augusto Nardes salientou que a realização de eventos desportivos no clube da ASTCU contribui de forma significativa para a melhoria da produtividade no ambiente de trabalho, uma vez que combate o estresse, propiciando relaxamento e bem-estar. “O esporte promove a interação e melhora a convivência com os pares e com a família, além de ser uma ótima opção de lazer. Não consigo viver sem”, ressaltou.

 

Nardes ainda destacou o comprometimento do presidente da ASTCU, Alison Souza, no comando da associação. “Sinto-me como um assessor do Alison na sua luta para recuperar a ASTCU. E, com o auxílio do Sindilegis, conseguimos consolidar uma parceria que trouxe um resultado muito positivo para o clube e para os servidores”, comemorou.

 

A servidora e medalhista da VI Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul,   Andréia Alves de Araújo, ressaltou que a ASTCU está cada vez mais atuante na realização de eventos que promovem a integração entre os servidores. “O clube está excelente, reformado. Adorei”, pontuou.

 

Para o servidor Rodrigo Motta, medalhista da VI Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul, a integração promovida por meio do esporte é favorável tanto para os servidores quanto para os tribunais envolvidos. “Quero agradecer o apoio da ASTCU e do Sindilegis. Ambos têm contribuído de forma efetiva para a realização destes eventos esportivos, que só trazem benefícios aos servidores”, frisou.

 

 

Ministros e servidores do TST

 

O ministro do TST Renato Lacerda falou sobre a relevância do torneio de tênis para os tribunais: “é um momento de congraçamento, fora da toga, em que a interação é mais importante do que a competição”. Lacerda, que não conhecia o clube da ASTCU, elogiou o nível do campeonato e aprovou a estrutura oferecida pelo clube para a prática do tênis.

 

Praticante do esporte, o ministro do TST Augusto César de Carvalho ponderou: “na vida, é preciso saber ganhar e saber perder. Isso faz parte da realidade. E eventos esportivos são propícios para suscitar essa reflexão, embora hoje seja um dia lúdico e de descontração, em um ambiente muito agradável”.

 

 

“Eventos esportivos são importantes porque integram tanto os servidores quanto os ministros, mas o objetivo principal é promover a qualidade de vida no âmbito do tribunal”, afirmou Adelôr Alves Lopes, presidente da Astrisutra.

 

“Por sugestão do Marcelo Klimkievicz, viemos participar do torneio de tênis no clube da ASTCU, e o resultado foi positivo: ministros e servidores ficaram satisfeitos com a receptividade e com as instalações do espaço”, afirmou o organizador do evento por parte da Astrisutra, servidor Jaff Rodrigues.

 

 

Clube da ASTCU

 

O clube conta, atualmente, com cinco quadras de tênis que se tornaram referência na capital federal, além de professores qualificados. No espaço, também está sendo edificada uma quadra de paddle tennis, a primeira de Brasília. Servidores podem praticar tênis no clube, e associados possuem descontos na mensalidade. Informações: Daniel Teixeira(99318- 8300), gestor da modalidade no clube; professores Pedro Ratinho: 98226-4012 Henrique: 98100-5377 Hudson: 99185-4910;  Ricardo: 98192-2624; Paulo César: 98103-7025/97819-0692 (aulas somente pela manhã).

Projeto Cultural da ASTCU leva banda de forró para o São João promovido no restaurante do TCU

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Para celebrar os tradicionais festejos juninos, a ASTCU promoveu na tarde da última terça-feira (7), no restaurante do TCU, uma apresentação de forró para lá de animada. A iniciativa integra um conjunto de ações propostas pela associação para beneficiar os servidores. O evento contou com o apoio do Sindilegis, da Escola de Música Espaço Sonoro e do restaurante Taioba.

 

Foram duas horas de um repertório de sucesso: Asa Branca, Petrolina Juazeiro, Riacho do Navio, Olho pro Céu, Assum Preto e Pagode Russo, de Luiz Gonzaga; Espumas ao Vento, Pedras que Cantam, Último Pau de Arara  e Lembrança de um Beijo, do cantor Fagner; Rindo à toa, Xote dos Milagres e Morango do Nordeste, do grupo Falamansa;  Morena Tropicana, de Alceu Valença; Neném Mulher, do Trio Nordestino; Colo de Menina, da banda Rastapé e Tareco e Mariola e Caboclo Sonhador, de Flávio José. Na ocasião, o servidor Wilson Moreno  deu uma palhinha ao lado do músico Felippe Salles, arrancando elogios dos colegas de trabalho. Nesse momento, alguns servidores ensaiaram passos de dança.

 

Em um cenário propício para o mês do São João, enfeitado com bandeirinhas coloridas, o público também se deleitou  com uma variedade de comidinhas típicas do cardápio: milho verde, canjica, bolo de fubá, maria-mole, maçã do amor, pamonha, pipoca, pé de moleque, cuscuz, cocada, espetinhos de carne e de frango, entre outros.

 

 

Questionado sobre a importância dessa iniciativa para os servidores, o presidente da ASTCU, Alison Souza, avaliou que a música representa bem-estar e descontração, fatores que propiciam a melhoria no desempenho das atividades profissionais. Partilhando da mesma opinião, o servidor Marcelo Borges acrescentou que incentivar a cultura no tribunal estimula a interação no ambiente de trabalho.

 

“Para mim, é sempre um prazer tocar aqui, sobretudo para festejar o São João, um período tradicional no Brasil. E, aproveitando a oportunidade, eu queria sugerir ao presidente Alison Souza que continue investindo em eventos culturais, pois eles são importantes para a qualidade de vida do servidor”, ressaltou Felippe Salles.

 

 

Trajetória dos músicos

 

Felippe Salles canta há 21 anos, sendo 13 deles dedicados à atuação musical em Brasília. Salles disse interpretar canções de ritmos diversos, mas elegeu a MPB como estilo musical. Ele também é violonista, professor e sócio-proprietário da Escola de Música Espaço Sonoro. Leonardo Paes é músico e toca percussão, bateria e baixo há mais de 20 anos.

A Escola de Música Espaço Sonoro, com sede no Guará II, disponibiliza uma unidade no clube da ASTCU. Associados matriculados contam com desconto nas mensalidades.

Contatos: Nívea ou Felippe: 8207-7896/ 8224-3847/3222-0113.

Em clima de congraçamento, TCU conquista o título de campeão geral da VI Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul

(Jornalista: Milena Abrahão Khoury)

Com um desempenho expressivo, o Tribunal de Contas da União sagrou-se campeão geral da VI Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul, contabilizando dez medalhas de ouro, 23 de prata e dez de bronze. O evento aconteceu entre os dias 1º e 6 de maio, em Foz do Iguaçu, e contou com a participação de cerca de 1.100 atletas de 35 delegações, sendo 21 brasileiras e 14 argentinas. Em uma semana recheada de emoções, servidores reuniram-se em busca de propósitos semelhantes: unir esforços em prol da prática desportiva e da qualidade de vida, além de estimular a integração e a convivência salutar no ambiente de trabalho. Nesta olimpíada, a antiga rivalidade entre Brasil e Argentina cedeu espaço ao estabelecimento de vínculos de amizade.

Entre as modalidades esportivas oferecidas, constaram futebol society, futsal, xadrez, dama, dominó, natação, pebolim (futebol de mesa), basquete, vôlei (de quadra e de areia), tênis (de quadra e de mesa), corrida (5 km e 10 km), bocha, boliche, sinuca, pôquer, truco, pesca e tiro ao alvo.

A abertura oficial iniciou-se com uma cerimônia solene, seguida de um jantar, e aconteceu na noite do dia 1º no Rafain Palace Hotel & Convention. Às autoridades e aos patrocinadores foram entregues medalhas de honra. Também participaram da solenidade delegações dos Tribunais de Contas do Brasil e da Argentina e seus convidados.

Atuação dos atletas medalhistas

Com jogadas espetaculares, superação de limites, raça, ousadia e congraçamento, os 110 atletas da delegação do TCU deram um show nas piscinas, nas quadras e fora delas. Foi assim que começaram a bordar o sonho do pódio.

Com motivo de sobra para comemorar, a servidora Patrícia Maria Corrêa se agigantou nas piscinas e conquistou, pela categoria sênior, quatro medalhas de prata nos 25 metros borboleta, crawl, costas e peito. Segundo a nadadora, tais resultados foram fruto da dedicação aos treinos realizados no clube da ASTCU, sob o olhar atento do professor Carlos Simpson.

Ao ser questionada sobre a relevância do evento, ela avaliou que – mais importante do que receber medalhas- é a oportunidade de integração entre os colegas de trabalho com interesses similares: a busca por qualidade de vida e pelo estreitamento das relações de amizade.

A atleta Cláudia Vieira Pereira também se destacou na piscina.  Ela trouxe medalha de prata nos 25 metros borboleta da categoria master. Estendendo sua atuação às quadras e às areias, fez bonito ao lado de competidoras não menos talentosas. Com a equipe do vôlei de quadra- composta por Lívia Fernanda, Dione Mary, Lucimar Vieira, Bruna Mara, Andréia Alves, Simone Barbosa, Manuela de Andrade, Aline Ferreira, Sarah Souto, Adalgisa Soares e Renata Leal Couto- Cláudia alcançou a prata em uma bela partida contra o TCE- PB.

Para Renata Leal Couto, estreante em olimpíadas de tribunais, o time de vôlei jogou bem. “É claro que precisamos ajustar alguns pontos, mas também existe a questão do nervosismo da primeira vez aqui”, pontuou. Empolgada com a prata, ela disse que o foco agora é treinar com mais afinco em busca do ouro.

Sobre a realização dos jogos dos tribunais, ela argumentou que o esporte é extremamente agregador. “Ele me trouxe amizades, convívio e relacionamento dentro do TCU”, ponderou. Além disso, mencionou o papel fundamental da ASTCU e do Sindilegis no apoio aos treinamentos esportivos, na organização e na estrutura do evento, respectivamente.

Lívia Fernanda, integrante do time de vôlei de quadra desde 2011, destacou que o esporte funciona como uma blindagem. “Posso estar com problemas pessoais ou no trabalho. Mas, ao entrar em quadra, tudo desaparece”, frisou. E reforçou a opinião da outra atleta em relação ao comprometimento da ASTCU e do Sindilegis com o evento.

No vôlei de praia, Simone Barbosa e Cláudia Vieira Pereira arrasaram, trazendo medalha de prata com sabor de ouro para o TCU. Em uma rotina intensa de jogos, as atletas decidiram a final no tie- break.  A partida, bastante equilibrada, foi marcada por belas jogadas contra a dupla do TCE- SC. As jogadoras de Brasília demonstraram superioridade técnica, habilidade e raça durante a disputa e ainda contaram com a animação da torcida para aliviar a tensão.

Outro time de esportes coletivos femininos que trouxe medalha foi o futsal, integrado por Lívia Fernanda, Renata Leal Couto, Adalgisa Soares, Sarah Souto, Alessandra Fonseca, Rosa Virgínia, Patrícia Maria Corrêa, Deane D´Abadia, Walderez de Melo e Rosana Oliveira. Elas ficaram com o bronze. Rosana Oliveira aumentou o número de medalhas, presenteando o TCU com a prata no tênis de mesa feminino simples. No boliche, a dupla Lívia Fernanda e Adalgisa Soares combinou talento e perícia ao lançar a bola na pista, ficando com a prata ao enfrentar o TCE- RS.

Correndo literalmente atrás de medalhas, Rita de Cássia Pinto da Secex/MG (categoria sênior) e Shirley Cavalcante (categoria master) subiram no pódio com um ouro e um bronze, respectivamente, na corrida de 10 km. “É a minha primeira vez em uma olimpíada dos tribunais e confesso que minhas expectativas foram superadas. O evento estava organizado, as delegações unidas e a torcida, animada” constatou a ganhadora da medalha dourada. No dominó feminino, a dupla Walderez Moura e Salete Palma estreou nas olimpíadas em clima de vitória: ganhou a medalha de ouro. E não teve para ninguém nessa modalidade. O dueto composto por Márcia Aquino e Ester Oliveira foi medalha de bronze. Estimulado por esses resultados, o quarteto já planeja as próximas olimpíadas. Em um excelente ritmo de jogo no tênis de campo livre simples feminino, os golpes certeiros da raquete de Andréia Araújo levaram o TCU ao bronze.

Entre os atletas masculinos, em uma atuação sem reparos, Renilson Barboza dos Santos conquistou a medalha dourada na corrida de 10 km, categoria masculino/livre. O atleta completou a prova em apenas 36 minutos.  Cássio Vidal, de categoria similar, também brindou o TCU com medalha de prata, assim como Jair Francisco Corrêa na categoria sênior.

Na corrida de 5 km, Klauss Henry da Secex/MG destacou-se pela categoria masculino/master e levou prata. Já Neuder Leite sobressaiu-se na categoria masculino/livre e foi bronze. O servidor Carlos Guimarães também brilhou nessa modalidade, trazendo ouro na corrida de 10 km, categoria masculino/master. Seu ótimo desempenho, no entanto, ultrapassou o asfalto, e seu talento reluziu nas águas da piscina do ginásio Costa Cavalcante.

Na natação, categoria masculino/master, foi medalha de prata nos 25 metros borboleta e medalha de bronze nos 25 metros crawl e costas. E, numa sequência de movimentos impecáveis, conquistou o ouro olímpico em parceria com os gigantes Marcelo Klimkievicz, Arby Rech e Reinaldo Moreira no revezamento 4x25m, categoria masculino/master. Nessa trajetória vitoriosa, o quarteto formado por Rodrigo Benevides, Bruno Loureiro, Cássio Vidal e David Raick também foi ouro no revezamento 4x25m, agora na categoria masculino/livre. Raick, pela categoria masculino/livre, ainda ganhou medalha de prata no nado costas e completou o pódio com bronze no estilo borboleta. “Foi uma experiência inigualável. É a minha primeira participação em uma olimpíada e estou muito feliz com meus resultados. Além disso, o esporte é o grande responsável por estender minha rede de amizades, inclusive com outros tribunais”, comemorou o atleta.

No tênis de campo simples, categoria masculino/livre e masculino/master, respectivamente, Rodrigo Motta e Luiz Gustavo Andreoli não deram chance aos seus oponentes, ficando ambos com medalha de ouro. No tênis de campo em dupla- categoria masculino/livre- o talento de Rodrigo Motta e de Marcelo Klimkievicz foi evidenciado com a conquista do ouro olímpico. E quem disputou essa partida com os campeões foram os parceiros Luiz Gustavo Andreoli e Robson da Silva Chagas. Mostrando habilidade durante os jogos, estes últimos ficaram com a medalha de prata. Superando as expectativas de medalha, Motta e Klimkievicz levaram prata no tênis de mesa masculino em dupla. Imbatível, Marcelo K também trouxe bronze no tênis de mesa masculino simples.

No tênis de campo simples, categoria masculino/livre, Lucas Sant´Ana e Klauss Henry fizeram bonito e brindaram o TCU com uma prata e um bronze, respectivamente. Marcelo Klimkievicz também foi destaque nessa modalidade pela categoria masculino/master e ficou com a prata. No Pebolim, graças à destreza para girar os manetes, a dupla Yuri Carvalho e João Marcos Ribeiro de Sant`Ana conquistou medalha de prata. Acertando o alvo com precisão, Oscar César Rocha protagonizou as cenas da modalidade tiro, ficando com o ouro. E, com ótimo desempenho, Rommel Brandão atirou rumo à medalha de prata.

Nos jogos coletivos, a Seleção TCU de futebol society master ficou com a prata. O jogo de estreia foi marcado por momentos de tensão. Nos primeiros minutos do 1º tempo, Reinaldo Lima contundiu-se, e o jogo transcorreu com dificuldade. Felizmente, com uma bola espirrada do meio de campo Renato Arrochella chutou de fora da área e fez 1×0 contra o Rio Negro da Argentina. “Sensação de alívio”, confidenciou Arrochella ao marcar o gol da vitória. Para Seixas, esse jogo foi um verdadeiro Brasil x Argentina.

A Seleção TCU também venceu o TCE-AC, o TCDF e o TCE- PI, classificando-se para a final. No último jogo, disputado contra o TCE-RJ, os atletas de Brasília não conseguiram reverter o placar de 0x4 contra os cariocas e conquistaram o 2º lugar. Para Alison Souza, diretor social do Sindilegis e presidente da ASTCU, as partidas foram equilibradas de um modo geral. “A Seleção TCU jogou com garra e obteve um ótimo resultado olímpico”, concluiu. A equipe era formada por Alison Souza, Renato Arrochella, Erismá de Moura, Cláudio Nogueira, Deusmar Augusto de Assis, Francisco Seixas Santos, Guilherme Barbosa Netto, Ivaldo Pereira de Assis, Ivan Rogedo, Jair Francisco Corrêa, José Maria Alves Filho, Lúcio Menezes, Raimundo Nonato Gomes, Reinaldo Monteiro de Lima, Renilson Barboza dos Santos e Sandoval Batista.

Em uma final emocionante, que contou com a presença do Ministro do TCU Augusto Nardes na arquibancada, a equipe de futsal masculino perdeu várias chances de gol.  A disputa, então, foi decidida nos pênaltis, em um placar de 3×2 para o TCE-AM. Regis Machado, Pacote, Forninho, Sacola, Michel Cohen, Marcelo Borges, Caco, Cuca, Yuri Carvalho, Goiano, Rafael Bittencourt e Afonso Vélez trouxeram prata para o TCU.

Com direito à torcida, a equipe de basquete masculino conquistou a medalha de prata contra o La Rioja da Argentina. Em um jogo bastante disputado, regado a lances emocionantes, os atletas de Brasília sofreram diversas faltas, mas perderam chances importantes de converter por lance livre. O time do TCU foi formado por Rommel Brandão, Ivan Rogedo, Oscar César Rocha, Victor Marcuz, Tiago Modesto, Uriel Papa, Paulo Spader, Rodrigo Schafhauser e Bruno Mahe.

Encerramento e balanço da VI Olimpíada

O encerramento dos Jogos Olímpicos dos Tribunais de Contas do Mercosul 2016 aconteceu na Churrascaria Rafain, em Foz do Iguaçu, ao som de variados estilos musicais.  Na ocasião, o Ministro Augusto Nardes dirigiu-se ao palco e, juntamente com medalhistas do TCU, ergueu o troféu de Campeão Geral do evento desportivo. “Aqui não existem donos da competição. Essa olimpíada veio proporcionar uma integração em prol da sociedade”, destacou Nardes.

Demais autoridades presentes no evento: Amauri Perusso (presidente da FENASTC); Conselheiro Ruben Quijano (presidente do Secretariado Permanente dos Tribunais de Contas da Argentina e vice-presidente do Comitê Internacional das Olimpíadas dos Tribunais de Contas do Mercosul – Argentina); conselheiro Wilson Wan-Dall (TCE-SC e presidente do Comitê Internacional das Olimpíadas dos Tribunais de Contas do Mercosul); Evandro Arruda (presidente da ABRTC), Julio Urban (CEO do portal Miceonline); Maury Cequinel (TCE-PR); Fred Vianna (TCE-PR); conselheiro Ivens Linhares (vice-presidente do TCE-PR); Otávio Lessa (presidente do TCE-AL); Luiz Sérgio Madeiro (secretário de Controle Externo da Administração Indireta no Rio de Janeiro do Tribunal de Contas da União);  conselheiro Luciano Nunes Santos (presidente do TCE-PI); Domingos Taufner (conselheiro do Espírito Santo e vice-presidente do Instituto Rui Barbosa); conselheiro Marco Peixoto (presidente do TCE-RS); Ivone Barofaldi (Vice-Prefeita de Foz do Iguaçu); Mounir Chaowiche (diretor-presidente da Sanepar); Érlon Caramuru Tomasi (diretor financeiro da UEGA – Usina Elétrica a Gás de Araucária); Jorge Samek (diretor-geral brasileiro Itaipu Binacional); Cristiano Hotz (diretor de Relações Institucionais da Copel).

Evandro Arruda, presidente da ABRTC, avaliou que o esporte reúne pessoas em prol de objetivos afins, promovendo, assim, a integração entre colegas de trabalho. “Essas olimpíadas têm uma importância ímpar, uma vez que estreitaram os vínculos entre servidores dos Tribunais de Contas do Brasil e da Argentina”, comemorou.

Para o presidente da ASTCU e representante da delegação do TCU, Alison Souza, foi cumprido o objetivo principal do evento de unir parceiros no esporte e na vida. “As olimpíadas nos propiciaram ganhos imensuráveis. Além da brilhante atuação do todos os atletas, independentemente de medalhas, conseguimos integrar ainda mais os colegas do Tribunal e com isso estreitar os laços de amizade no ambiente do trabalho. E também tem a questão da qualidade de vida”, observou. Ele ainda agradeceu a colaboração fundamental do Sindilegis na organização e na confecção dos uniformes dos jogos, bem como o apoio da delegada Simone Barbosa na condução do evento.

“Regressamos ao trabalho leves, felizes e entusiasmados. Houve uma troca de experiência incrível entre os tribunais do Brasil e do Mercosul, o que favoreceu o fortalecimento dos laços de amizade”, afirmou Simone Barbosa. Além disso, ressaltou que eventos desportivos unem pessoas, estimulam a superação de limites, combatem vícios e elevam a autoestima. “A realização de uma olimpíada de tribunais fortalece a Instituição TCU, uma vez que servidores valorizados desempenham de forma mais efetiva suas funções. Sendo assim, o papel do Sindilegis, como um sindicato diferenciado, é prosseguir na luta pela qualidade de vida do servidor por meio do incentivo e da produção de eventos dessa magnitude”, finalizou Barbosa.

Na opinião de Levy Avaloni, coordenador regional do Sindilegis na região Sudeste, esse evento desportivo propiciou, além de entretenimento, um entrosamento ímpar entre os servidores. Avaloni, que participou pela primeira vez de uma Olimpíada dos Tribunais de Contas do Mercosul, estreou com o pé direito: o TCU sagrou-se campeão da competição.

Vai começar o Forró, Brasília!

DIA 13 DE MAIO – O ESQUENTA DO “ARRAIÁ”  LEGIS, PRÉ- FESTANÇA JUNINA DO SINDILEGIS

 

O “Exquenta” será o aquecimento para uma das maiores festas junina de Brasília, o “Arraiá Legis”. A festança promete! O sócio do Sindilegis e da Ascade tem 50% de desconto na compra do ingresso.

 

Para esquentar os festejos juninos na Capital Federal, o “Exquenta” vai dar o pontapé inicial com muita animação e alegria, ao som do grupo Só Pra Xamegar (SPX) e da dupla sensação da cidade, Wiliam & Marlon, no próximo dia 13 de maio, sexta-feira, a partir das 22h, na Ascade.

 

Com uma ampla bagagem musical no cenário local e nacional, a dupla Wilian & Marlon é referência de sucesso no mercado regional com seu ritmo único que mescla sertanejo com o swing baiano. O grupo SPX- já consagrado em Brasília- faz a festa com seu show envolvente e contagiante, trazendo o melhor do forró e um repertório bem atual para o público presente.

 

Os ingressos antecipados já estão à venda na secretaria do clube Ascade no valor de: R$50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada). O sócio da Ascade e  do Sindilegis, mediante apresentação da carteirinha da instituição, paga meia-entrada. *Cada sócio só pode comprar 1 (um) convite por carteirinha!

Para mais informações: 3226-4503

 

SERVIÇO

O quê: EXQUENTA

Onde: Clube ASCADE, Sede Náutica – Setor de Clubes Sul

Quando: Sexta-feira, 13 de maio, a partir das 22h.

Quanto: R$50,00 (inteira)  e R$ 25,00 (meia-entrada).

Para quem: Para maiores de 16 anos.

Fonte: Ascom Sindilegis